Dentista Concurseiro

Filmes e Processamento Radiográfico

há 6 meses     -     
Filmes e Processamento Radiográfico

Filmes e proce dentista.jpg (106 KB)

Meio usado para registrar a imagem radiográfica depois de ter sido exposta à radiação X e processado nas soluções adequadas. Os filmes atuais são protegidos internamente com um papel preto e o seu envoltório é de plástico; tem alta resistência a luz, são muito sensíveis aos Raios X e possuem uma proteção contra as radiações secundárias por uma camada fina de chumbo.

Constituição do filme:

  •   Consiste de uma base de poliéster – material rígido, para que possa ser manipulado pelo operador. A base deve ser fina, transparente, plana, azulada ou esverdeada, e satisfazer algumas medidas de segurança, ex: combustão lenta.

 

  •   O filme é coberto em um ou ambos os lados com gelatina impregnada de sais halogenados de prata(brometo ou iodeto), formando a parte sensível do filme – EMULSÃO: proporciona alta sensibilidade, um processamento e secagem em menor tempo possível. Após o processamento, ao secar, a gelatina se contrai. Os líquidos usados para processar os filmes radiográficos devem manter a temperatura ente 16035 graus, para evitar uma contração excessiva ou um desgarramento da gelatina da base.

 

  •   Capa protetora: tem a finalidade de proteger a emulsão do contato com as forças mecânicas durante a manipulação do filme, e são constituídas de uma fina camada de gelatina;

 

  •   Embalagem: papel preto- opaco à luz, envolve o filme, na parte de trás do filme tem uma lamina de chumbo – protege de radiação secundária, e a capa plástica externa- deve ser a prova d’agua, para impedir que a saliva do paciente ente em contato com o filme.

Armazenamento de filme:

- Temp 10 e 20 ºC;

-Umidade de ar: 40-60%;

Local protegido de raios X e outras radiações.

Ao se idealizar uma câmara escura, podemos planejar nela um local adequado para armazenamento dos filmes, que devem ser conservados em temperatura frasca.

Classificação do filme:

  1. Quanto à utilização:

-Intrabucais: são os que colocamos no interior da cavidade bucal;

- Extrabucais: filmes colocados fora da cavidade bucal.

- Densimétricos: Mede a exposição dos operadores de raios-X.

       2. Quanto ao tamanho:

  • 2,4 X 4,0 cm (infantil);
  • 3,1 X 4,1 cm;
  • 2,7 X 5,4 cm;
  • 5,7 X 7,5 cm.

       3. Quanto à quantidade:

Podem ser simples – quando vem uma película apenas, ou duplos, quando vem duas, que possibilitam ao profissional ter duas radiografias idênticas.

       4. Quanto à sensibilidade (velocidade):

Eficácia com que o filme responde à exposição. Se refere à sua capacidade de produzir imagens com maior ou menor quantidade de radiação. D- ultra-speed, E- ektaspeed, F- insite.

 

Conceitos e definições sobre o processamento radiográfico

  • Densidade:grau de escurecimento obtido por um filme radiográfico após o seu processamento, é o que entendemos por densidade. Quanto mais o filme é exposto aos Raios-X, mais escuro ele se torna após o seu processamento, portanto mais denso ficará; tempo de exposição curtos resultam em radiografias de baixa densidade (claras).
  • Contraste: o contraste é a graduação das diferenças de densidade nas várias áreas de um filme. São os matizes de preto, branco e cinza resultantes de uma radiografia com diferentes exposições aos Raios X. Alto contraste- grande diferença do preto e branco. Baixo contraste- possui maior grau de variação de cinza entre branco e preto.
  • Definição: a capacidade de um filme registrar detalhes muito finos e pequenos chama-se definição- efeito composto da granulação do filme, poder de resolução e tipo de solução do processo da imagem. Os fatores que influem no detalhe são: granulação do filme radiográfico, quanto maior os cristais de prata, menor o detalhe da imagem; soluções de processamento- as enérgicas provocam um detalhe menor, pois formam grãos de prata maiores no filme processado; a quilo voltagem; placas intensificadoras e tempo exagerado em exposição aos raios X.

Bixe materiais gratuistos.png (115 KB)

PLACAS INTENSIFICADORAS (ecrans): constituídos de pequenos cristais fluorescentes de platino cianeto de bário ou tungstato de cálcio, formando com gelatina uma camada uniforme sobre uma base rígida. Os cristais fluorescentes são usados nas placas intensificadoras pelo fato de serem estáveis e proporcionarem uma luminescência sob a ação dos raios-X, que aumenta seu efeito fotográfico, diminuindo consequentemente o tempo de exposição nas tomadas radiográficas. Quanto maior esse cristal fluorescente, menor a quantidade de raios X necessária para produzir a imagem radiográfica e menor será o detalhe.

A IMAGEM LATENTE: O grau de absorção dos raios-X está em função dos seguintes fatores: comp. De onda, composição, espessura e densidade do objeto. Os corpos que não apresentam resistência à passagem de Raios-X nos dão uma imagem radiolúcida (escura), e os que apresentam resistência nos dão uma imagem radiopaca (claras). Os cristais de halogeneto de prata existentes na emulsão de um filme modificam-se quando absorvem fótons de Raios-X. O resultado deste fenômeno é a precipitação ou formação de uma película de prata total atingido pela radiação.

O remanescente da prata permanece em sua forma original até que o filme seja processado. O conjunto destas partículas de prata é denominado de IMAGEM LATENTE. Os radicais de brometo, que estavam combinados com a prata precipitada, escapam durante a revelação através da emulsão sob forma de gás bromo.

 

Processamento do filme radiográfico

Sua finalidade é transformar a imagem latente em imagem real. Os seus métodos de processamento são o automático e o manual.

  • Câmara escura:

 É o melhor local para processar uma radiografia. Deve ser um espaço amplo, onde podemos dispor de tanques para as soluções com água corrente abundante e, em regiões frias, de condições de aquecimento adequado, mesas de trabalho e etc. As câmaras portáteis são bastante praticas, não utilizam um espaço muito grande, e quando usadas corretamente, as radiografias apresentam boa qualidade.  Não devemos deixar esta caixa perto de luzes claras ou de local com temperatura muito alta.

 

Soluções de processamento:

Redutores:

  1. Elon ou metol;                  
  2. Hidroquinona

Preservativo

Sulfito de sódio: previne a oxidação da solução reveladora em presença de oxigênio. Aumenta o tempo de vida da solução.

Agente restringente ou balanceador (retardador)

Brometo de potássio: controla a ação dos redutores (da substancia relevadora) não permitindo que atuem sobre os sais de prata não sensibilizados pelos raios-X.

Ativador

Carbonato de sódio:  Alcaliniza a solução. Ativa a ação dos redutores, amolecendo a gelatina da emulsão.

 

Fórmula do líquido revelador

  •   Água destilada
  •   Elon (redutor)
  •   Hidroquinona (redutor)
  •   Sulfito de sódio (antioxidante)
  •   Carbonato de sódio (alcalinizante)
  •   Brometo de potássio (restringente)
  •   Água destilada

 

Banho interruptor:

O uso de uma solução levemente ácida, ao invés de agua corrente, para a lavagem intermediária é muito mais eficiente, pois neutraliza imediatamente a solução reveladora. Quando a radiografia é colocada no revelador, a emulsão se intumesce e absorve uma grande quantidade de solução. Se esta quantidade de solução é introduzida sistematicamente no fixador (devido a uma lavagem ineficiente), o grau de acidez é reduzido e suas propriedades endurecedoras enfraquecem.

 Outro inconveniente da falta de lavagem intermediária é a reação de uma solução alcalina com uma ácida e a consequente neutralização da segunda pela primeira. O tempo de permanência nessa solução é de 20s.

Solução fixadora:

A sua ação é de dissolver os sais de prata que não foram expostos aos raios-x, permanecendo imunes ao revelador. Outra função é endurecer a gelatina para que o filme apresente resistência à abrasão e seque rapidamente. O tempo total da permanência da radiografia no fixador é o dobro do clareamento. Clareamento é a remoção da aparência leitosa da radiografia, quando ela fica transparente e em condições de interpretação.

Hipossulfito de sódio:  solvente da prata que elimina os cristais não sensibilizados, promovendo o aparecimento das áreas radiopacas, e fixa a imagem.

O agente oxidante é o mesmo do revelador – sulfito de sódio.

O ácido acético é o acidificante do meio: é necessário para a ação correta dos componentes do fixador e neutraliza a ação alcalina do revelador.

Agente endurecedor Alúmen de potássio: impede o amolecimento da gelatina durante a lavagem ou secagem no ar quente. Quando o filme está seco, fica mais resistente às forças mecânicas que agem sobre a emulsão.

 

Fórmula do solução fixadora

  •   Água destilada
  •   Hipossulfito de sódio (solvente de prata)
  •   Sulfito de sódio (antioxidante)
  •   Ácido acético (acidificante)
  •   Alúmen de potássio (endurecedor)

 

Lavagem final

Remover do filme os compostos químicos do fixador. O aumento da temperatura e agitação da água diminuem o tempo de lavagem final.

Secagem:

temperatura em até 49ºC.

Degradação das soluções: ação do oxigênio, ação da luz, ação do tempo e o número de filmes processados.

- Características de um fixador degradado: cor branco leitosa, Ph maior ou igual a 5,5 (o ideal é de 4 a 5).

- Características de um revelador degradado: cor marrom-escura, Ph menor que 8,5 (ideal de 10 a 12).

jornada.jpg (71 KB)

Você também pode gostar de:

 

 

 

 

53 Publicações - 8 Seguidores

Sou o Dentista Concurseiro da Editora Sanar! No meu blog você vai encontrar tudo sobre concursos, residências e sobre a carreira do dentista no Brasil! Estamos melhorando aos poucos a sua experiência por aqui!

Caso tenha alguma sugestão, pode falar com concurseirodentista@gmail.com

  • 53 Publicações