Nutricionista Concurseira

Micronutrientes, o que você precisa saber!

há 9 meses     -     
Micronutrientes, o que você precisa saber!

1Nutri.jpg (67 KB)

Oi, Nutris! Antes de falarmos sobre os micronutrientes e biodisponibilidade, vamos trazer nossa curiosidade! Ela está relacionada com o rim, órgão responsável pela filtração sanguínea e eliminação de substâncias nocivas ao organismo, como amônia, ureia e ácido úrico! 

 

A ingestão de carambola pode ser fatal para pacientes com DRC, pois ela contém uma neurotoxina que não é devidamente eliminada pela via renal. A toxina encontrada é chamada de caramboxina. Sendo assim, a carambola é uma fruta proibida para pacientes com Doença Renal Crônica.

 

Curiosidade explicada, vamos ao nosso artigo. Vamos falar sobre os MICRONUTRIENTES (vitaminas e minerais). Os micronutrientes são necessários para a manutenção do organismo, embora sejam requeridos em pequenas quantidades, de miligramas a microgramas. Por serem nutrientes essenciais, devem estar presentes na alimentação diariamente.

O déficit pode provocar doenças ou disfunções e, o excesso, intoxicações (lembrar da nossa curiosidade).

 

VITAMINAS LIPOSSOLÚVEIS ALIMENTOS E NUTRIÇÃO

 

São substâncias orgânicas, não sintetizadas pelo organismo, fornecidas através dos alimentos e solúveis em solventes orgânicos. 

 

VITAMINA A

É um termo genérico que se refere a três compostos pré-formados: álcool (retinol), o aldeído (retinal) e o ácido (ácido retinóico). A principal função dessa vitamina é atuar na saúde dos olhos, mas ela também age na manutenção de pele e mucosas. A deficiência de vitamina A pode levar à cegueira noturna (xeroftalmia), queratomalácia, até cegueira noturna. Para além disso, a deficiência da vitamina pode causar queratinização de mucosas dificultando a barreira imunológica física desempenhada por elas. As principais fontes de vitamina A são: cenoura, manga, abóbora, mamão, fígado, gema de ovo, leite integral, queijo.

 

VITAMINA D

A vitamina D ajuda a manter o metabolismo mineral normal, e atua principalmente na homeostase do cálcio e do fósforo, atuando em três localizações, intestino delgado, ossos e rins. Existem duas formas ativas da vitamina D no organismo humano, D2 (ergocalciferol) e D3 (colecalciferol). A vitamina D2 está presente nos vegetais e suplementos alimentares e a vitamina D3 é sintetizada pelo organismo humano pela exposição da pele aos raios UV. A deficiência de vitamina D na infância leva ao raquitismo, e na fase adulta à osteomalácia. Em idosos, baixas concentrações de vitamina D estão intimamente ligadas à baixa absorção de cálcio nos ossos e desenvolvimento de osteoporose. As principais fontes de vitamina D são gema de ovo, fígado, manteiga e pescados.

 

VITAMINA E

A nomenclatura é utilizada para denominar um grupo de oito substâncias com diferentes graus de atividade vitamínica encontradas na natureza, divididas em duas séries de compostos: os tocoferóis (alfa, beta, gama e delta) e os tocotrienóis (alfa, beta, gama e delta). A principal função da vitamina E é conferir proteção às membranas celulares contra a oxidação. Deficiência de vitamina E pode causar miopatia, disfunções neurológicas, além de atividade anormal de plaquetas. As principais fontes de vitamina E são: gérmen de trigo, amêndoas, avelãs, óleos vegetais, manteiga e ovos.

 

VITAMINA K

A vitamina K é derivada da das naftoquinonas, e possui propriedades anticoagulantes e anti-hemorrágicas, possuindo papel essencial na coagulação sanguínea. Para além disso, a vitamina K também desempenha função importante no sistema ósseo e na regulação dos sistemas de múltiplas enzimas. A principal consequência da carência de vitamina K é o prolongamento no tempo de protrombina, resultando na diminuição da síntese de proteínas de coagulação. As principais fontes são: vegetais folhosos verdes escuros como couve, espinafre e brócolis, em menores concentrações, fígado bovino e suíno.

 

VITAMINAS HIDROSSOLÚVEIS

Substâncias orgânicas, não sintetizadas e pouco armazenadas pelo organismo, fornecidas através dos alimentos e são solúveis em água.

 

VITAMINA C

A vitamina C é formada por dois compostos bioativos: o ácido ascórbico e o ácido deidroascórbico. Essa vitamina é um potente antioxidante, e age protegendo as células do organismo contra os radicais livres, além de ser responsável por reciclar a vitamina E. A deficiência de vitamina C é muita rara, mas pode causar escorbuto, que tem como complicações problemas na gengiva e dentes, hematomas, cabelos e pele secas e anemia. As principais fontes são: frutas cítricas e folhas vegetais cruas.

 

COMPLEXO B

 

VITAMINA B1

Também chamada de tiamina, é necessária para a descarboxilação oxidativa do piruvato, formando acetato e acetil coenzima A componente principal do ciclo de Krebs. A deficiência de vitamina B1 pode causar neurite crônica periférica, beribéri ou beribéri agudo pernicioso. As principais fontes alimentares são carnes magras, vísceras (fígado, coração e rins), gema de ovo e grãos integrais.

 

VITAMINA B2

A vitamina B2 pertence a um grupo de pigmentos amarelos denominados flavinas. Essa vitamina, também chamada de riboflavina, é essencial para a formação de células vermelhas no sangue, para a ocorrência da gliconeogênese e regulação das enzimas tireoidianas. A deficiência de riboflavina pode causar queilose, estomatite, glossite e dermatite angular, além de anemia (normocrômica e normocítica).

 

VITAMINA B3

O termo é utilizado para descrever duas substâncias: nicotinamida e o ácido nicotínico, também chamada niacina. A nicotinamida é componente das coenzimas NAD e NADP, envolvidas no metabolismo de carboidratos, ácidos graxos e aminoácidos. A deficiência de vitamina B3 pode levar à pelagra, conhecida como doença dos 3 D, dermatite, diarreia e demência. As principais fontes de vitamina B3 são carnes magras, vísceras, leveduras de cerveja, amendoim, aves e peixes.

 

VITAMINA B5

A vitamina B5, também chamada de ácido pantotênico, faz parte da coenzima A, estando assim envolvida em reações de liberação energéticas dos carboidratos e no metabolismo dos ácidos graxos. A deficiência de ácido pantotênico pode causar insônia, cansaço e cãibras. As principais fontes de vitamina B5 são ovos, fígados, rins, leveduras, couve-flor e brócolis.

 

VITAMINA B6

Vitamina que engloba três compostos, piridoxina, piridoxal e piridoxamina, a vitamina B6, também conhecida como piridoxina, é encontrada nas células na forma ativa piridoxal fosfato (PLP), coenzima que age no metabolismo de gorduras, proteínas e carboidratos. A deficiência de piridoxina pode provocar dermatite seborreica, anemia microcítica, convulsões, depressão, esteatose hepática e diminuição do crescimento. A vitamina B6 é encontrada principalmente ligada à porção proteica dos alimentos, sendo as principais fontes: leveduras, gérmen de trigo, vísceras e cereais integrais.

 

VITAMINA B7

Este ácido monocarboxílico, também chamado biotina, possui vários sistemas enzimáticos dependentes, que agem como coenzima no processo de fixação do dióxido de carbono e na síntese e oxidação de ácidos graxos. As carboxilases são as principais enzimas dependentes de vitamina B7. A deficiência de biotina pode causar unhas quebradiças, cabelos fracos e opacos, ou dermatite. As principais fontes dessa vitamina são: leite, fígado e gema de ovo.

 

VITAMINA B9

A vitamina B9, também chamada de folato, ácido fólico ou folacina, é formado pelo ácido roilmonoglutâmico e seus derivados, e funciona como um carreador para componentes de carbono simples. A principal função das coenzimas ligadas à vitamina B9 é a transferência de unidades de um carbono para substâncias envolvidas na síntese de DNA, RNA, metionina e serina. A deficiência de ácido fólico pode causar diminuição do crescimento, anemia megaloblástica, glossite e distúrbios gastrointestinais. As principais fontes de vitamina B9 são: vísceras, feijão, grão de bico e vegetais folhosos verdes como espinafre, aspargo e brócolis.

 

VITAMINA B12

A vitamina B12 é um composto de que contém um núcleo de corina centrado em cobalto, também é chamada de cobalamina. Essa vitamina participa do metabolismo dos ácidos nucleicos, é essencial para o funcionamento celular, especialmente do trato gastrointestinal, tecido nervoso e medula óssea. A deficiência de cobalamina pode causar anemia megaloblástica, problemas neurológicos, de pele, diarreia e perda de apetite. As principais fontes de vitamina B12 são: vísceras, leite cru e ovos.

 

MINERAIS

 

• Cálcio

O cálcio é um mineral que compõe os ossos e dentes, tendo papel fundamental na mineralização óssea. Participa dos processos de contração muscular, excitabilidade neural, coagulação sanguínea e na transmissão nervosa. A deficiência de cálcio pode provocar alteração muscular e cardiovascular, além de raquitismo, osteomalácia e osteoporose. As principais fontes são leite de vaca e seus derivados, além de vegetais folhosos verde-escuro como couve, brócolis e espinafre.

• Fósforo

Similar ao cálcio, o fósforo está intimamente ligado à mineralização óssea, e dos dentes. Para além disso, este mineral participa de atividade enzimática, e tem papel fundamental por fazer parte da molécula de ATP (adenosina trifosfato). O fósforo também atua na absorção e transporte de nutrientes. A deficiência de fósforo causa sintomas similares à deficiência de cálcio, como sinais neuromusculares, diminuição dos reflexos, parestesia e fraqueza muscular. As principais fontes de fósforo são proteínas como carnes, peixes, ovos e leguminosas.

 

• Magnésio

O magnésio é o segundo cátion intracelular mais abundante, cerca de 60% dele é encontrado nos ossos. É responsável por estabilizar a estrutura do ATP, além de ser cofator para mais de 300 enzimas envolvidas no metabolismo dos componentes alimentares. A deficiência deste mineral pode causar sintomas como tremores, espasmos musculares, anorexia, náusea e vômito. As principais fontes de magnésio são oleaginosas, leguminosas além de vegetais de folhas verde-escuras.

• Ferro

Existem dois tipos de ferro presentes na dieta: o ferro heme e o ferro não-heme. O ferro heme está presente em alimentos de origem animal: carnes, frango, peixe e seus derivados. O ferro não-heme é composto por alimentos de origem vegetal, como o feijão, vegetais verdes escuros, lentilha, inhame etc.

 

Interações


Ácido ascórbico/ vitamina C possui interação positiva com o ferro, atuando como redutor, mantendo o ferro não-heme dos alimentos no estado ferroso, mais solúvel e biodisponível.

O cálcio possui interação negativa, estando presentes em refeições ricas em ferro, atua como inibidor da absorção de ferro heme e não-heme

 

• Potássio

Atua diretamente nos nervos e músculos, é o nutriente que junto com o sódio promove a regulação hídrica do corpo. Os rins são responsáveis pela regulação dos nossos níveis de potássio.

 

 • Sódio

O sódio é responsável por regular o volume extracelular e o plasma, bem como exerce importante função neuromuscular e manutenção do equilíbrio ácido-base. Além disso, é um dos principais componentes da bomba de sódio e potássio. A manutenção dos níveis séricos de sódio é vital para a sobrevivência, pois sua carência grave (hiponatremia), pode levar a convulsões, coma e morte. É importante salientar que a quantidade absorvida é proporcional à sua ingestão. A principal fonte de sódio é o cloreto de sódio, e os alimentos proteicos contêm naturalmente mais sódio do que vegetais e grãos. • Potássio Assim como o sódio, o potássio está envolvido na manutenção do equilíbrio hídrico normal, equilíbrio osmótico, determinação do potencial de membranas e músculos, e no equilíbrio ácido-base, juntamente com o cálcio, é importante na regulação da atividade neuromuscular. Tanto o excesso, como a carência de potássio fazem mal ao organismo humano, principalmente com implicações cardíacas. As principais fontes de potássio são frutas, vegetais, carnes frescas e laticínios.

 

• Zinco

O zinco é um mineral, constituinte da categoria das metaloenzimas, e exerce importante papel na proteção do organismo contra radicais livres. Para além disso, atua na replicação celular, sistema imunológico, maturação sexual, fertilidade e reprodução. A deficiência de zinco tem como principais sintomas: alterações no paladar e comportamento, disfunções imunológicas, anorexia, retardo no crescimento, atraso na maturação sexual e dificuldade para cicatrização. Carnes, fígado, aves, peixes e cereais integrais são as principais fontes de zinco.

 

• Selênio

A principal função do selênio é participar da produção de enzimas que neutralizam os radicais livres e evitam a peroxidação lipídica de membranas celulares e subcelulares. Para além disso, também age na formação do esperma e no funcionamento da próstata. A atuação do selênio é feita juntamente com a vitamina E, ambos antioxidantes. A deficiência desse mineral no organismo humano, pode acarretar em aumento significativo do colesterol, e no desenvolvimento de doença de Keshan (cardiomiopatia). As principais fontes de selênio são castanha brasileira, frutos do mar, rim, fígado, carnes e aves.

 

 

 

BIODISPONIBILIDADE VITAMINAS

 

VITAMINA A

A biodisponibilidade da vitamina A pode ser alterada negativamente pela baixa ingestão de gordura, consumo excessivo de pectina ferro e zinco. O consumo de proteínas e vitamina E auxiliam na absorção desta vitamina.

VITAMINA D

O consumo excessivo de fibras e etanol afetam negativamente o consumo de vitamina D, enquanto que a lactoalbumina e os ácidos graxos de cadeia curta facilitam a absorção da mesma.

VITAMINA C

A vitamina C é altamente susceptível a oxidação química e enzimática, sendo assim a presença de flavonoides ajuda a reduzir as perdas da mesma.

 

VITAMINA E

A absorção dessa vitamina é aumentada na presença de triacilgliceróis de cadeia média, por outro lado, a biodisponibilidade é reduzida na presença de lipídios insaturados, e o alto consumo de vitamina A, farelo de trigo e pectina.

VITAMINA K

Altas doses de suplementação de vitamina E, são antagônicas à ação da vitamina K.

 

COMPLEXO B

 

VITAMINA B2

A biodisponibilidade de vitamina B2 é reduzida em condições extremas de temperatura, pH alcalino e perdas excessivas de água.

VITAMINA B3

Ingestões adequadas de triptofano contribuem para a síntese dessa vitamina, pois a mesma pode ser sintetizada a partir do aminoácido.

VITAMINA B6

A biodisponibilidade de vitamina B6 é reduzida drasticamente com a ingestão excessiva de proteínas, deficiência de riboflavina, excesso de leucina e álcool.

VITAMINA B9

A carência de zinco e algumas drogas afetam negativamente a absorção de vitamina B9.

 

VITAMINA B12

A biodisponibilidade da cobalamina depende da presença de clorídrico e cálcio.

 

Quer saber mais? Esse conteúdo está presente em nossos preparatórios e até mesmo em nosos insta Confira nossos produtos!

 

 

Vitaminas e minerais.jpg (170 KB)

 

 

 

71 Publicações - 2 Seguidores

Em 2019 ultrapassaremos os 150 mil nutricionistas no Brasil! Já passou da hora de termos um lugar com todo contéudo que precisamos, correto?

Aqui você vai encontrar: Concursos abertos para Nutrição, Editais de residência; Dicas de estudo, Artigos Técnicos, Mapas Mentais, Flashcards, Entrevistas, Dicas de carreira e muito mais! Fique de olho e vem com a gente :)

  • 71 Publicações