Fisioterapeuta Concurseira

As 5 lesões neurológicas que mais caem em concursos de fisioterapia

há 4 meses     -     
As 5 lesões neurológicas que mais caem em concursos de fisioterapia

lesões neurológicas que mais caem em provas de concurso de fisioterapia.jpg (51 KB)

As questões envolvendo a área neurológica, nos concursos para Fisioterapeuta, dividem-se em duas principais vertentes:

Neurologia clínica: ou seja, você deverá entender o quadro clínico do paciente, bem como as alterações anátomo-fisiológicas inerentes à desordem;

Fisioterapia funcional: nesse tipo de questão, você possivelmente será questionado sobre objetivos e condutas a serem realizadas com o paciente que apresenta alguma lesão neurológica.

Sabendo disso, vamos fazer o TOP 5 DA NEURO: as 5 lesões neurológicas que mais caem em provas de concurso para Fisioterapeutas!

 

1. ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL (AVC)

O AVC – que também pode aparecer na sua prova como Acidente Vascular Encefálico (AVE), embora o termo AVC tenha disso, atualmente, consagrado pelos especialistas para nomear a lesão -, costuma ser um tema bastante abordado em diversas provas, podendo abordar desde alterações biomecânicas do paciente até a correlação anátomo-patológica de acordo com a artéria acometida.

AVC.jfif (32 KB)

Questão:

(CESPE – EBSERH – 2018) Os acidentes vasculares cerebrais (AVC) são as causas mais comuns das hemiplegias, quadros clínicos para os quais os fisioterapeutas comumente são indicados a tratar. Com relação aos aspectos clínicos que direcionam o tratamento das hemiplegias e às práticas aplicadas nesse tratamento, julgue os itens subsecutivos.

Durante o tratamento fisioterapêutico, é importante que o paciente hemiplégico seja treinado a mover seletivamente o tronco e as extremidades, porque há uma tendência de ele passar a realizar movimentos estereotipados conhecidos como sinergias em massa, que dificultam a realização de tarefas funcionais.

( ) Correto ( ) Incorreto

Resolução: O enunciado apresenta de forma correta uma das bases do tratamento fisioterapêutico nos pacientes hemiplégicos. Indivíduos com lesão do sistema nervoso central tendem a apresentar o movimento voluntário estereotipado com perda da movimentação seletiva. O treino e a recuperação da atividade seletiva do tronco e extremidades são de suma importância em um plano de tratamento. A perda da atividade seletiva dos diversos músculos da região do tronco implica incapacidade/restrição de estabilizar a coluna torácica em extensão enquanto utiliza os músculos abdominais da porção inferior de forma isolada como durante a deambulação28.

Resposta: CORRETA.

 

2. DOENÇA DE PARKINSON

Os concursos para Fisioterapeuta têm inovado na abordagem relativa à Doença de Parkinson, dando preferência ao planejamento de objetivos e condutas terapêuticas para estes pacientes, já que este é um tema um tanto “batido” em termos de fisiopatologia nas provas de concurso.

Marcha Parkinsoniana.gif (287 KB)

Questão:

(CESPE – EBSERH – 2018) A doença de Parkinson (DP) é a segunda doença neurodegenerativa mais comum em todo o mundo, com prevalência de 400 a 1.900 casos por 100.000 pessoas. Com relação à DP, julgue os próximos itens.

Hipocinesia, tremor, bradicinesia, rigidez e instabilidade postural são sintomas característicos da DP, mas nem todos esses sintomas estão presentes em todos os pacientes.

( ) Correto ( ) Incorreto

Resolução: O enunciado apresenta de forma correta alguns dos sintomas motores essenciais associados à doença de Parkinson. Além do comprometimento motor, os pacientes com doença de Parkinson também podem apresentar disfunção da memória, depressão, distúrbios do sono e alterações do sistema nervoso autônomo. Outras manifestações secundárias são micrografia, disartria, edema, face em máscara, escoliose, cifose, deformidade de mão e pé e distonia, entre outras. Resposta: CORRETA.

 

3.DOENÇA DE ALZHEIMER

A Fisioterapia já disponibiliza recursos bastante interessantes para o tratamento da Doença de Alzheimer. É preciso, todavia, lembrar que estes recursos não curam a doença, sendo possível apenas retardar os efeitos maléficos que ela acarreta.

ALZHEIMER.gif (3.66 MB)

 

Questão:

(UPE, 2015/RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA COM ÊNFASE NA SAÚDE DA POPULAÇÃO DO CAMPO/CUIDADOS PALIATIVOS EM SAÚDE) A Doença de Alzheimer se configura como um dos mais comuns tipos de demência, sendo responsáveis por 50 a 70% dos casos em todo o mundo. Sobre essa doença, assinale a alternativa INCORRETA.

       a)A demência é uma síndrome clínica, caracterizada por um decréscimo adquirido e persistente da memória e da função cognitiva, como linguagem, habilidades para realizar tarefas complexas, identificar objetos ou pessoas, pensamento abstrato,      julgamento e personalidade.

       b)É uma doença neurológica, progressiva, degenerativa, de curso rápido e reversível na qual são observadas alterações cerebrais, como presença de placas senis, emaranhados neurofibrilares, perda celular e atrofia do córtex cerebral.

       c) As manifestações clínicas podem ser observadas em três fases distintas: a fase inicial, intermediária e avançada. Na fase avançada, o paciente perde a capacidade de realizar as AVDs com independência e de se comunicar. O comprometimento motor se agrava, e os pacientes permanecem acamados nessa fase.

       d) A partir da fase intermediária, o paciente começa a apresentar alterações motoras e da marcha. Os objetivos da fisioterapia consistem em retardar a progressão do comprometimento motor, prevenir encurtamentos e deformidades e incentivar a autonomia e independência do paciente.

        e) À medida que a doença progride e a dependência aumenta, podem surgir conflitos no âmbito familiar, uma vez que toda a rotina da casa é alterada em função do cuidado do paciente. O suporte ao cuidador e à família também é objetivo do tratamento por parte de toda a equipe multidisciplinar.

Alternativa B: INCORRETA. Caracteriza-se como uma doença normalmente de início insidioso, responsável por prejuízo intelectual superior, e alterações de comportamento e de humor. O quadro é progressivo e irreversível evoluindo com desorientação, afasia e perda de memória decorrentes de disfunção cortical grave e, ao longo de 5 a 10 anos, o indivíduo torna-se profundamente incapacitado, apresentando imobilismo e mutismo. O processo patológico é caracterizado por degeneração e morte progressiva dos neurônios do hipocampo, prosencéfalo basal e córtex associativo posterior, regiões relacionadas com aprendizagem, memória e comportamentos emocionais. Os achados de neuroimagem por ressonância nuclear magnética e o estudo anatomopatológico do cérebro evidenciam placas senis contendo β-amiloide, emaranhado neurofibrilar contendo proteína tau, e perda neuronal do hipocampo e áreas corticais e subcorticiais. Não existe cura para a doença de Alzheimer, mas o tratamento é capaz de aliviar os sintomas e prolongar a independência do indivíduo, reduzindo também a carga dos cuidadores.

 

4. PARALISIA CEREBRAL

Também chamada de Encefalopatia Crônica Não-Progressiva, a Paralisia Cerebral (PC) é alvo de muitas provas de concursos e residências, especialmente por ter apresentações bastante distintas entre si.

 

Questão:

Um dos tipos clínicos de PC é o extrapiramidal, caracterizado por presença de incoordenação axial e/ou apendicular, comprometimento do equilíbrio e tônus muscular normalmente baixo.

( ) Correto ( ) Incorreto

Resolução: A paralisia cerebral extrapiramidal é caracterizada essencialmente por variação de tônus durante o repouso e em situações de estresse. O enunciado apresenta um conceito de paralisia cerebral que se encaixa com o tipo atáxica, que se caracteriza pela presença de ataxia axial e apendicular, redução de tônus, dismetria e marcha com base aumentada.

Resposta: INCORRETA.

 

5. TRAUMA RAQUIMEDULAR

Também chamado de “Lesão Medular”, o Trauma Raquimedular (TRM) é um tema bastante cobrado em provas, por ter diversos tipos de apresentação clínica.

Lesão medular.jfif (15 KB)

 

Questão:

(UFRN, 2015/RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE/FISIOTERAPIA) Um paciente com lesão medular traumática alta, tetraplégico, flácido e dependente de ventilação mecânica apresenta um traumatismo raquimedular completo, com nível neurológico entre

        a)C1 e C3, em fase crônica.

        b)C1 e C3, em fase aguda.

        c) C5 e C6, em fase aguda.

        d)C5 e C6, em fase crônica.

Alternativa B: CORRETA.

A fase aguda ou choque medular caracteriza-se pela perda aguda de tônus simpático descendente resultando em uma diminuição da resistência vascular sistêmica podendo culminar em uma hipotensão. Os reflexos tendinosos profundos e cutâneos superficiais, e o tônus retal estão completamente ausentesAlém disso, na transecção completa da medula, o déficit motor inicial é flácido acompanhado de perda da atividade medular reflexa.4 As lesões completas a nível neurológico C1-C3 estão relacionadas à tee traplegia, além disso, os traumas raquimedulares altos levam a uma redução do volume de reserva expiratório e da pressão expiratória, regurgitação e acúmulo de secreções com aumento dos níveis de CO2 e diminuição da PaO2. A hipoxemia é responsável por uma vaconstrição pulmonar, falência respiratória e edema pulmonar. Pacientes com lesões completas no nível C3 ou acima necessitam de ventilação mecânica para respirar.

Esperamos ter ajudado nessa caminhada dos estudos!

Um forte abraço e rumo à aprovação!

 

Aprovação.gif (1.63 MB)

 

Base dos blogs.png (106 KB)

 

71 Publicações - 5 Seguidores

Sou a Fisioterapeuta Concurseira da Sanar! No meu blog você vai encontrar tudo sobre concursos, residências e sobre a carreira do fisioterapeuta no Brasil! Estamos melhorando aos poucos a sua experiência por aqui!

  • 71 Publicações