Buscando questões de Residência? Veja 5 comentadas e onde conseguir mais | Sanar Saúde
Logo Sanar

Carreiras

Buscando questões de Residência? Veja 5 comentadas e onde conseguir mais

5 questões de Enfermagem

Sabemos que buscar questões faz parte da rotina dos enfermeiros que estão estudando para Residência. É uma excelente maneira de simular a hora da prova, ver o que está mandando bem ou que precisa reforçar nos estudos.

Para te apoiar na preparação, colocamos neste artigo 5 questões de Enfermagem comentadas. Além de responder, você também aproveita para aprender mais sobre as alternativas certas e erradas.

No fim do texto, você vai saber como tornar seus estudos mais fáceis e otimizar o seu tempo na busca por questões. Leia até o final, combinado?

Questão 1

UPE – TÉCNICO EM ENFERMAGEM – 2017

Sobre pacientes oncológicos, analise as afirmativas abaixo:

I. A radioterapia é uma terapêutica que deve ser realizada exclusivamente, em pacientes em estágios terminais de câncer, objetivando uma melhor qualidade de vida ao paciente.

II. Pacientes submetidos à radioterapia devem ser orientados a evitar exposição ao sol, calor e frio.

III. São cuidados de enfermagem ao paciente em tratamento quimioterápico: realizar balanço hídrico, orientar e/ou realizar higiene oral, incentivar ingesta hídrica e avaliar diariamente a mucosa oral.

IV. Um dos cuidados durante a administração dos quimioterápicos é preservar a via de aplicação endovenosa segura.

Está CORRETO o que se afirma em:

a) I e II, apenas.

b) I, II, III e IV.

c) II, III e IV, apenas.

d) II e IV, apenas.

e) I e III, apenas.

 

Agora confira a resposta:

*

*

*

 

Assertiva I: INCORRETA. Na realidade, as finalidades da radioterapia mais se referem a doentes adultos, já que, em crianças e adolescentes, cada vez mais se vem reduzindo a radioterapia, pelos efeitos colaterais tardios que ela acarreta ao desenvolvimento orgânico.1

Assertiva II: CORRETA. Existem uma série de cuidados após a radioterapia e eles giram em torno de aliviar os sintomas, basicamente. De uma forma geral, deve-se evitar a exposição solar – e ao frio também - do local irradiado durante e logo após o tratamento. Além disso, cuidados especiais com a pele podem ser tomados, como manter o local limpo durante o tratamento. 1

Assertiva III: CORRETA. O enfermeiro e sua equipe devem avaliar o paciente oncológico com cautela, estando alerta para possíveis reações. A inspeção da cavidade oral, bem como orientações quanto à higiene, devem ocorrer para verificar e evitar sinais de mucosite; já o balanço hídrico e a boa ingesta de líquidos, ocorre em decorrência de desidratação e reposição volêmica em casos de vômitos e diarréia. 1

Assertiva IV: CORRETA. Deve-se assegurar o acesso venoso com segurança, a fim de se evitar contaminação. Além disso, os profissionais devem seguir orientações rígidas para garantir segurança no momento da administração. 1

GABARITO: LETRA C


Questão 2

SESAB 2016

As ostomias são indicadas quando:

a) Os pacientes auto removem as sondas nasais.

b) O paciente necessitar ­ficar em repouso alimentar absoluto.

c) O tubo digestivo estiver ausente e sem capacidade de absorção, total ou parcial, conservada.

d) Existe possibilidade, parcial ou total, de o paciente comer pela boca, por períodos longos, e,

até mesmo, defi­nitivo.

e) Existe qualquer barreira fi­siológica, nas partes mais baixas do tubo digestivo, o que pode dificultar a passagem de uma sonda nasoentérica.

 

Agora confira a resposta:

*

*

*

ALTERNATIVA A: CORRETA. Não haverá outra via além das ostomias indicadas para manter a alimentação do paciente/cliente.

ALTERNATIVA B: INCORRETA. O paciente não precisa ficar necessariamente em repouso alimentar absoluto, podendo realizar as atividades cotidianas normalmente e a mesma pode ser instalada em parte especí­fica não restringindo totalmente a alimentação.

ALTERNATIVA C: INCORRETA. Porque pode ser introduzida uma sonda para um determinado órgão específi­co em que o paciente possa manter a alimentação normalmente, como por exemplo a sonda nasogástrica ou nasoentérica.

ALTERNATIVA D: INCORRETA. Nesses casos, as ostomias não são indicadas porque existe a possibilidade de alimentação pela boca seja de forma total ou parcial e as mesmas são indicadas quando existe alguma obstrução e/ou barreira que não permita do paciente/cliente se alimentar.

ALTERNATIVA E: INCORRETA. As sondas para alimentação também podem ser instaladas no estômago ou jejuno, partes mais baixas que o tubo digestivo por meio de ostomias, utilizando-se sondas especiais.


Questão 3

SESAB 2017

O bloqueio atrioventricular total é determinante para necessidade de introduzir um marca-passo. Tal procedimento requer participação do profi­ssional enfermeiro no preparo para inserção do dispositivo –que é feito por um médico – além de cuidado no decorrer do uso, por longo tempo de vida do paciente. Sobre os possíveis diagnósticos de enfermagem associados ao processo que envolve o uso de marca-passo, analise as opções a seguir e identi­fique com V as verdadeiras e com F as falsas.

( ) Distúrbio da imagem corporal.

( ) Risco de lesão relacionado com hemotórax.

( ) Risco de lesão relacionado com pneumotórax.

( ) Dor aguda relacionada com a incisão cirúrgica, sobretudo, quando realizada punção em veia poplítea.

A alternativa que contém a sequência correta, de cima para baixo, é

a) V V V F

b)V V F F

c)V F F F

d)F F F V

e) F F V V

Agora confira a resposta:

*

*

*

ALTERNATIVA A: CORRETA. A primeira alternativa é verdadeira porque possui sequência determinada e exata sobre os diagnósticos de enfermagem para indicação no uso do marca-passo, diagnósticos esses que envolvem fatores de importância clínica para colocação de tal dispositivo.

ALTERNATIVA B: INCORRETA. A segunda alternativa é falsa porque o uso do marca-passo é indicado em pacientes que tenham risco de desenvolver pneumotórax por bloqueio atrioventricular devido a diminuição da capacidade de ventilação-perfusão.

ALTERNATIVA C: INCORRETA. A terceira alternativa é falsa porque o comprometimento do débito cardíaco, ou seja, a sua diminuição significativa é indicação do uso do marca-passo para pacientes que tenham o risco de lesão relacionado com pneumotórax e/ou hemotórax por bloqueio atrioventricular.

ALTERNATIVA D: INCORRETA. A quarta alternativa é falsa porque a bradicardia causada segundo disfunção de um bloqueio atrioventricular são fatores que predispõe um distúrbio de imagem corporal, sendo um fator de indicação para uso de tal dispositivo, tornando assim o diagnóstico de enfermagem verdadeiro e tornando a alternativa falsa.

ALTERNATIVA E: INCORRETA. A quinta alternativa é falsa porque alterações signi­ficativas na mudança de estilo de vida que cause essa disfunção de imagem corporal pode ser indicativo do uso de tal dispositivo pela sobrecarga e redução da musculatura cardíaca.


Questão 4

FUMARC – ENFERMEIRO – 2018

De acordo com o Grupo Brasileiro de Classificação de Risco - GBCR, um sistema de classificação de risco deve ter como objetivo maior priorizar o paciente conforme a gravidade clínica com que se apresenta no serviço de saúde.

Sobre as boas práticas para a Classificação de Risco propostas por esse grupo, constituem premissas para utilização do Sistema Manchester, EXCETO:

a) Disponibilizar, no mínimo, um ponto para a classificação de risco. Na hipótese de haver mais de dez pacientes aguardando pela classificação, deve ser disponibilizado mais um ponto para realização da classificação de risco.

b) Garantir que os profissionais (médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem) sejam devidamente capacitados para o atendimento às diretrizes do Protocolo de Manchester, e ainda, em restrita conformidade às recomendações do Sistema Manchester de Classificação de Risco.

c) Manter o ponto de classificação de risco próximo à porta de entrada do serviço, possibilitando que o profissional classificador tenha uma visão dos usuários que aguardam para serem classificados e/ou atendidos, preservando, entretanto, a privacidade do paciente;

d) Não permitir que profissionais não capacitados e devidamente certificados utilizem e apliquem o Sistema Manchester de Classificação de Risco para prestar atendimento nos pontos de atenção às urgências/emergências.

Agora confira a resposta:

*

*

*

Alternativa A: CORRETA. Válido ressaltar que a classificação de risco, mesmo que haja um grande número de pacientes aguardando, deve ser realizada individualmente, em sala apropriada, respeitando a privacidade do paciente. 2

Alternativa B: INCORRETA. A classificação de risco é atividade do profissional Enfermeiro. 2

Alternativa C: CORRETA. É indispensável o profissional enfermeiro possuir visão de tudo o que ocorre no ambiente externo à área de classificação de risco. 2

Alternativa D: CORRETA. Somente enfermeiros – capacitados – podem aplicar o Sistema. 2


Questão 5

FCC - TRT - 20ª REGIÃO (SE) – ENFERMEIRO – 2017

O profissional de saúde que presta atendimento ao paciente com Chikungunya deve estar atento aos sinais de gravidade e critérios de hospitalização, que são, dentre outros,

a) hipotensão arterial, dor torácica e sangramentos de mucosas.

b) prurido, dor na articulação e disúria.

c) conjuntivite, hipotermia e icterícia.

d) manchas na pele, dispneia e dispareunia.

e) febre, hipertrofia ganglionar e polaciúria

 

Agora confira a resposta:

*

*

*

A questão aborda os sinais de gravidade da Chikungunya, que são: acometimento neurológico, dispneia, dor torácica, vômitos persistentes, descompensação de doença de base, sangramento de mucosas e sinais de choque (hipotensão, extremidades frias, cianose, tontura, enchimento capilar lento, instabilidade hemodinâmica.

Alternativa A: CORRETA. São sinais clássicos de gravidade. 3

Alternativa B: INCORRETA. Prurido pode ocorre em região plantar ou generalizado, no entanto não é sinal de gravidade; disúria não é manifestação clínica descrita; artralgia é manifestação clínica geral de arboviroses. 3

Alternativa C: INCORRETA. Conjuntivite é manifestação característica, não sendo sinal de gravidade; hipotermia usualmente não ocorre, sendo descrito febre; icterícia não é característica clínica dessa arborvirose. 3

Alternativa D: INCORRETA. Manchas na pele são manifestações clínicas, mas não necessariamente sinal de gravidade; dispneia é um sinal de gravidade; dispareunia (dor durante a relação sexual) geralmente ocorre em ISTs. 3

Alternativa E: INCORRETA. Febre é uma característica clínica, não sendo necessariamente sinal de gravidade; hipertrofia ganglionar é pouco descrito; polaciúria ou poliúria não é manifestação clínica dessa arbovirose. 3


E, aí? Gabaritou tudo ou viu algo que precisa revisar?

Buscar questões é uma tarefa muitas vezes árdua e que faz com que você invista um tempo que poderia dedicar a outras atividades. Ao mesmo tempo, não dá para ficar sem este exercício, pois fazer provas anteriores ajuda você a entender o funcionamento da instituição, perceber quais assuntos mais caem, se acostumar com o estilo das questões e reforçar os estudos num assunto que você percebeu não dominar tanto assim.

Como resolver? E melhor, como encontrar as questões já filtradas por profissão, disciplina ou assunto?

A resposta é simples e pode estar na palma de sua mão agora. Conheça o aplicativo da Sanar Saúde! São mais de 100 mil questões gabaritadas da área de Saúde inteiramente GRATUITAS para você se preparar para as provas de Residência e Concurso! Você ainda encontra milhares de questões comentadas pelos nossos professores. Não deixe para depois: baixe agora e também indique para outro amigo que quer passar em Residência!

 

Matérias relacionadas

 

REFERÊNCIAS

1. Brasil. Ministério da Saúde / Secretaria de Atenção à Saúde / Departamento de Regulação, Avaliação e Controle / Coordenação Geral dos Sistemas de Informação. Manual de Bases Técnicas da Oncologia – SIA/SUS – Sistema de informações Ambulatoriais. 2016. 141p.

2. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Humanização da Atenção e Gestão do SUS. Acolhimento e classificação de risco nos serviços de urgência / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Política Nacional de Humanização da Atenção e Gestão do SUS. – Brasília : Ministério da Saúde, 2009. 56 p. : il. color. – (Série B. Textos Básicos de Saúde).

3. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Coordenação-geral de Desenvolvimento da Epidemiologia em Serviços. Guia de Vigilância em Saúde: volume único [recurso eletrônico] / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Coordenação-geral de Desenvolvimento da Epidemiologia em Serviços. – 2. ed. - Brasília : Ministério da Saúde, 2017. 705p.: il.

 

Cadastre-se para ter acesso personalizado ao conteúdo completo da Sanar.
Cadastre-se para ter acesso personalizado ao conteúdo completo da Sanar.