Logo Sanar

Carreiras

Atenção Básica: Residência, áreas de atuação, remuneração e mais!

residencia-atencao-basicia.jpg (173 KB)

 

Desde a instituição da Política Nacional de Atenção Básica, em 2011, ganhou força a valorização do atendimento primário na rede pública de saúde. Promoção e proteção à saúde, diagnóstico, prevenção a agravos, tratamento, reabilitação, redução de danos e manutenção da saúde se tornaram valores do cuidado com o usuário do sistema.

Esses valores norteiam a atuação dos profissionais da Atenção Básica, que é a porta de entrada da Rede de Atenção à Saúde e tem na Estratégia Saúde da Família sua forma de organização. A equipe multiprofissional é a chave do atendimento eficaz e integrado. Por isso mesmo, a Residência em Atenção Básica é a especialização que se coloca como excelente oportunidade para profissionais de áreas como Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Nutrição, Odontologia e Psicologia

Navegue pelo índice abaixo para conhecer detalhes da Residência em Atenção Básica.


1. Breve histórico sobre Atenção Básica no Brasil;
2. Como funciona a Residência em Atenção Básica;
3. Processo seletivo da Residência;
4. Onde fazer Residência em Atenção Básica;
5. O que é esperado do especialista em Atenção Básica?;
6. Como se preparar para a Residência em Atenção Básica.


SAIBA QUAIS SÃO AS RESIDÊNCIAS ABERTAS EM TODO O PAÍS


 

Breve histórico sobre Atenção Básica no Brasil

A preocupação do Estado com a Atenção Básica no Brasil se materializou na Política Nacional de Atenção Básica, regulamentada pela Portaria nº 2.488, de 21 de outubro de 2011, que estabelece diretrizes e normas para esse momento da rede de assistência. E essa política é necessária, principalmente no contexto em que é adotada a Estratégia Saúde da Família (ESF), que configura as estratégias de expansão, qualificação e consolidação da atenção básica de acordo com os preceitos do Sistema Único de Saúde.

A Atenção Básica é a porta de entrada do usuário na Rede de Atenção à Saúde e, por isso mesmo, precisa estar sempre próxima e acessível aos cidadãos. Ou seja, a Atenção Básica passa a ser desenvolvida com mais alto grau de descentralização e capilaridade. Não à toa, é cada vez mais crescente o número de Unidades Básicas de Saúde. Sendo a principal porta de entrada na rede de assistência, é preciso ser acessível às pessoas.

Acessibilidade, inclusive, é um dos princípios da Atenção Básica no Brasil. Acrescenta-se a este mais alguns: universalidade, vínculo, continuidade do cuidado, integralidade da atenção, responsabilização, humanização, equidade e participação social.

Algo interessante a saber: a integralidade da atenção é reforçada desde a Residência Multiprofisisonal em Atenção Básica, na medida em que os profissionais de saúde aprendem em uma equipe formada por colegas de outras profissões. É a competência de trabalho em equipe multiprofissional, formação adotada pela Estratégia Saúde da Família, sendo desenvolvida já no processo de especialização.

 

Como funciona a Residência em Atenção Básica

A formação em Residência em Atenção Básica dura dois anos e requer dedicação exclusiva. São 60 horas de trabalho por semana no cenário de prática, como unidades de saúde da própria instituição de ensino ou das redes municipal, estadual ou federal de saúde. O aprendizado é no dia a dia das unidades de saúde mesmo, atendendo o cidadão que precisa de assistência mesmo!

Por ser uma especialização caracterizada pelo aprendizado em serviço, 80% da carga horária é prática e 20% é teórico-prática. Ao final do curso, o profissional de saúde terá cumprido 5.760 horas, entre rodízios nas unidades de saúde, seminários, aulas e plantões. Para tanto, é paga bolsa-auxílio mensal no valor de R$ 3.330,43

Esse programa de residência multiprofissional aceita profissionais de Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Nutrição, Odontologia e Psicologia. São as formações correspondentes às exigidas para composição das equipes multiprofissionais que atuam na Estratégia Saúde da Família para ampliar a resolutividade e o impacto na situação de saúde dos cidadãos.

 

Processo seletivo da Residência

As vagas para Residência em Atenção Cardiovascular são abertas anualmente. Cada instituição é responsável pela elaboração e divulgação dos seus processos seletivos, que podem sofrer variações de acordo com o estabelecido em cada edital. Mas, de modo geral, o processo de seleção costuma ser composto por pelo menos uma das etapas a seguir:

 

Prova objetiva

A prova objetiva está presente na grande maioria dos editais de Residência em Atenção Cardiovascular. Costuma ser a primeira etapa do processo seletivo e possui caráter eliminatório e classificatório. Ou seja, se fizer pontuação menor àquela indicada no edital, o candidato é eliminado; e a pontuação feita na prova indicará a posição diante dos demais candidatos. Essa prova é composta de questões objetivas relacionadas a conhecimentos gerais sobre o programa de residência e conhecimentos específicos à área de atuação. 

 

Prova dissertativa

A prova dissertativa costuma se apresentar como a segunda etapa do processo seletivo para entrar em um programa de Residência em Atenção Cardiovascular. Na maioria das vezes, tem caráter classificatório e apresenta uma situação problema ou um estudo de caso vinculado à área profissional do candidato.


 
Prova de títulos

A prova ou avaliação de títulos também está muito presente nos processos. Geralmente, é a última etapa das seleções de novos residentes. Neste momento sãoa valiados histórico acadêmico, atividades extracurriculares, realização de pesquisas, publicações de artigos, entre outros itens que também costumam ser descritos no edital. Cada atividade realizada corresponde à uma pontuação específica e a soma dos pontos de seu currículo será considerada na classificação final do processo seletivo.

 

Entrevista

A entrevista também é uma etapa possível no processo seletivo. Geralmente, ela ocorre no mesmo dia que a prova de títulos. Nesse momento, o responsável pelo programa de residência da instituição fará perguntas gerais sobre comportamento, histórico profissional e vida do candidato, assim como testará questões mais específicas, diretamente relacionadas à área de atuação, como em uma prova oral.

 

Todas essas etapas e suas formas de avaliação e aplicação podem variar de acordo com cada instituição de ensino. Por isso, um dos primeiros passos da preparação para a Residência em Atenção Cardiovascular é estudar profundamente o edital da instituição em que pretende se inscrever e entender bem quais são as etapas e as competências cobradas. 

O cronograma completo do processo, incluindo data das provas, do resultado final e do início do Programa (geralmente é início de Março), são divulgados no edital de abertura da Residência. No mesmo documento há informações sobre taxa de inscrição, quadro detalhado das vagas ofertadas, conteúdos cobrados nas avaliações, dentre outros.

 

Onde fazer Residência em Atenção Básica

Agora que você já entendeu como funciona a modalidade de residência e como fazer o processo seletivo, é hora de conhecer quais são as instituições que oferecem o programa de Residência Multiprofissional em Atenção Básica. Listamos os principais:

 

O que é esperado do especialista em Atenção Básica?

A Rede de Atenção à Saúde prevê o cuidado integral e direcionados às necessidades das pessoas. A Atenção Básica é a porta de entrada a esse sistema assistencial e exige algumas competências que vão além da técnica profissional. Importante ter em mente a busca pelo vínculo de confiança dos usuários com toda a rede. Assim, o cidadão será encorajado a buscar as Unidades Básicas de Saúde sempre que sentir necessidade para que sejam colocados em prática os objetivos de prevenção e promoção à saúde.

Diante disso, algumas habilidades e competências são esperadas do profissional de saúde da Atenção Básica:

  • Acolhimento com escuta qualificada, classificação de risco, avaliação de necessidade de saúde e análise de vulnerabilidade;

  • Assistência resolutiva, com identificação de riscos, necessidades e demandas;

  • Cuidado com o usuário numa relação horizontal, contínua e integrada;

  • Capacidade de análise, intervenção e autonomia para estabelecer práticas e gerir estreitamento de elos;

  • Desenvolvimento de ações que priorizem grupos de risco e fatores de risco clínico-comportamentais, alimentares e/ou ambientais para prevenir o aparecimento ou a persistência de doenças e danos evitáveis;

  • Participação no planejamento locla de saúde, monitoramento e avaliação de ações. 

 

Como se preparar para a Residência em Atenção Básica

O primeiro passo para a preparação é ter certeza de que área você quer seguir. Para isso, pesquise bem suas possibilidades e encontre o caminho que mais se encaixa com o seu perfil e com suas necessidades. Leia conteúdos sobre, converse com colegas da área e pense bem em como e onde você se vê trabalhando nos próximos anos. Temos algumas matérias que podem te ajudar nessa escolha:

Depois que você tiver certeza do caminho que quer seguir, é preciso estudar bastante sobre a instituição e o programa de residência em que você irá se inscrever e elaborar um planejamento bem consistente de estudos. Muita coisa? Calma, nós também podemos te ajudar nessa! Confira alguns conteúdos especiais para essa parte da preparação:

Em seguida, você precisará escolher um material completo, assertivo e bem direcionado para seu objetivo! Ter uma fonte de estudos de qualidade te dará a segurança necessária para você otimizar seu tempo e ser mais produtivo, além de fornecer o conteúdo e as ferramentas ideais que te guiarão para a aprovação. 

Quer algumas dicas de materiais perfeitos para te preparar para a Residência? Segue abaixo:

A gente sabe te aprovar!

Preparatórios de Residência em Saúde 2020

 

Cadastre-se para ter acesso personalizado ao conteúdo completo da Sanar.