Todas as Áreas

Carreiras

10 dicas que gostaria de ouvir quando me formei

10 dicas que gostaria de ouvir quando me formei

Somos hoje 348.693 dentistas cadastrados no CFO, em todas as especialidades, com 550 cursos de graduação abertos em nosso País, segundo o MEC. Com um mercado tão competitivo muitos se vêem no último ano da graduação em um mercado lotado em grandes centros urbanos, sem perspectivas de atendimento com biossegurança, remuneração adequada e sendo pressionados á escolher especialidade, cursar mestrado, doutorado, sem ao menos saber de fato o que é a Odontologia.

Toda vez que frequento congressos busco conversar com acadêmicos, para saber como está o curso e os anseios e sonhos. No último CIOSP tive oportunidade de conversar com uma acadêmica do interior de SP, estava no quarto período.Lembrando dessa conversa informal, na hora do almoço, cheguei a esses pontos:

1- Estude o básico muito bem.
Sim, ainda encontramos muitos problemas de diagnóstico básico, dentes perdidos por falta de orientação e encaminhamento para periodontia, pacientes com doenças não diagnosticadas, recusa de atendimento para pacientes com doenças sistêmicas. Fazer a parte clínica bem feita ainda é um diferencial em um mercado que foca em estética e esquece da saúde e da prevenção.

2- Fuja do efeito manada.
Se muitos da sua turma vão buscar se especializar em odontopediatria, provavelmente há uma tendência para a área. Isso significa mercado inchado em dois ou três anos de especialistas em odontopediatria. Que tal pensar no contrário? Afirmo que, ainda com um mercado inchado há ausências de bons profissionais em diversas áreas, principalmente os que sabem ouvir os pacientes.

3- Ganhe experiência em consultórios e clínicas antes de abrir o seu negócio.
Buscar vagas de trabalhos pode ser muitas vezes desmotivador, porém todo local de trabalho tem o que te oferecer de experiência. Grandes clínicas, apesar de remuneração muitas vezes vergonhosa, te ensinam sobre relação com paciente, relação com equipe, como realizar venda e questões jurídicas.
Mesmo nos melhores cursos de marketing e gestão que fiz, com grandes nomes da área de Negócios, as lições aprendidas nas clínicas,na prática, foram de maior valor. Mas lembre- se, seu nome em primeiro lugar, então não se sujeitar a atender fora das normas de ética e biossegurança são essenciais.

4- Pense fora da caixa.
Um dos melhores livros que li foi :` Se Dysney gerenciasse seu hospital:9 ½ coisas que você mudaria` de Fred Lee. Nele você nota que sim, temos que pensar além da restauração com sulcos e pigmentações. O paciente é seu chefe, e a ele você deve agradar, porém quem conduz o tratamento é você.
Fazer cursos na área de gestão hospitalar, administração de negócios, empreendedorismo e acompanhar grandes líderes de empresas multinacionais te faz ver que o mundo da odontologia pode sim ser atualizado, modificado, às vezes com muito pouco.

5- Não abra seu consultório perto da sua casa.
Calma, não estou dizendo isso de forma impensada. Dados mostram que 90% dos negócios falham, pois não há planejamento. Abrir um consultório perto da sua casa pode ser confortável para você, mas é bom para seus pacientes? Uma pergunta mais importante ainda: Quem é seu paciente?
Fazer um plano de negócios básico, saber de onde sair e onde quer chegar, quem quer atingir são respostas para algumas das perguntas que você deve fazer antes de pensar em abrir seu negócio. O SEBRAE tem cursos na área gratuitos, que te ajudam em toda parte básica de empreender e tem consultoria para te ajudar nessa etapa de implementação e na administração do negócio.

6- Não corra para uma especialização.
Sim, essa eu gostaria muito de ter ouvido quando me formei. Na ansiedade de termos um segundo diploma, por pressão da sociedade ou auto cobrança, corremos para realizar cursos de especialização quando nem temos ciência do que é trabalhar de segunda a sábado em um consultório. O mercado com tantos profissionais fez com que a graduação não seja suficiente.Nos formamos e corremos para provas de especialização, mestrado e doutorado, sem nem saber para onde,de fato, quer chegar.
Ter um plano de carreira, saber do que você gosta e do que você não gosta, te tornará um profissional melhor. Tenho colegas de turma que eram excelentes alunos, mas ao cair em clínicas e na rotina de atendimento, descartaram a odontologia como meio de vida, e assim, perderam dinheiro investido em excelentes cursos de especialização, material de altíssima qualidade e tempo de vida, para mim, o bem mais precioso. Trabalhar alguns meses, fazer um curso de atualização ou aprofundamento em uma área de concentração, são muitas vezes mais valiosos que cursar uma especialização de cara, sem experiência profissional.

7- Invista em bons cursos.
Se você pensa em seguir carreira na área privada, invista em bons cursos, não em títulos. Ter um diploma de especialização não te fará melhor que seu vizinho de porta, mas saber diversas técnicas e utilizar o marketing correto, vai sim te trazer sucesso. Ouvi de um grande mestre que muitas vezes o novo não é o melhor, o moderno é ruim e que o básico
bem feito é melhor que o 3D mal feito. Não se feche para as novas técnicas, pelo contrário, leia sobre todas, pois cada paciente seu terá uma necessidade, e a técnica A pode ser mais antiga porém mais eficiente para seu paciente.

8- Nunca pare de Estudar.
Sou canhota e até meu 4o período foi muito sofrido para que eu conseguisse realizar todas as atividades impostas pela faculdade, pois todas eram lecionadas para destros. Uma professora , também canhota, fez com que eu não desistisse e me motivou á continuar meu curso. Estava decidida a largar naquele período se não me adaptasse na parte clínica. Ela me ensinou muito, ficava na clínica dela nos horários vagos só para aprender mais. Dentistas são eternos estudantes, ela disse pra mim algumas vezes. Veja o caso da covid-19, se você ainda não parou para ler a nova norma técnica da ANVISA 04/2020, já está ultrapassado.
Não foi ao último grande congresso da sua área? Perdeu lançamento de produtos. E ao comercial CIOSP? perdeu TODOS os lançamentos do ano no grande mercado, tendências e chance de atualizar idéias. Fazer cursos com frequência, buscar ler bulas de novos materiais e se manter atualizado te faz diferente e seus pacientes respeitam isso.

9- Endomarketing
Mesmo dentro de clínicas, o marketing interno deve ser realizado. Já vi colegas sendo desligados por falta de pontualidade,causar fofoca entre a equipe e falta de vestimenta adequada. Endomarketing é saber se posicionar positivamente entre seus colegas de trabalho, seja seu chefe ou a responsável pela limpeza da clínica. O endomarketing faz com que seus colegas te vejam como bom profissional, como pessoa assertiva e te indicam em futuras parcerias de trabalho. Essa relação pode, e deve, ser cultivada desde a faculdade, quando você se mostra como pessoa confiável, tem os materiais, anda vestido de acordo com as normas sanitárias e é sociável e sabe se relacionar.

10- Acredite no seu potencial
Nada disso do que falei serviria se você não confiar em você, no seu potencial e nos seus sonhos. Ter um foco faz com que o caminho a trilhar seja menos dolorido e mais enriquecedor.

Com todas essa dicas me despeço, desejando um bem vindo á profissão mais linda que pode existir, onde devolvemos sorrisos e mudamos vidas, através de carinho, técnica e persistência.

Raisa Malafaia, Cirurgiã Dentista Formada pela UFRJ, Empreendedora da área de Saúde.

Referências:

http://website.cfo.org.br/profissionais- cadastrados/ cro=Todos&categoria=1&especialidade=todas&inscricao=&nome=Se Disney administrasse seu hospital: 9 ½ coisas que você mudaria Fred Lee Porto Alegre: Bookman-Artmed, 2009

http://emec.mec.gov.br/

https://www.infomoney.com.br/colunistas/empreendedorismo-digital/por-que-90-dos-negocios-fracass am/

https://www20.anvisa.gov.br/segurancadopaciente/index.php/noticias/176-nota-tecnica-n-04- 2020-gvims-ggtes-anvisa-atualizada

Cadastre-se para ter acesso personalizado ao conteúdo completo da Sanar.
Cadastre-se para ter acesso personalizado ao conteúdo completo da Sanar.