Todas as Áreas

Carreiras

Aprendizado na área da saúde: da base forte à clínica

Aprendizado na área da saúde: da base forte à clínica

Durante os primeiros períodos da faculdade, com certeza você, acadêmico ficou e ficará indeciso e trará consigo várias interrogações: “o que estou fazendo aqui?”, “quando eu me formar, duvido que vá utilizar isso.”, “porque preciso saber disso?”, “o que isso vai agregar na minha vida”, “que negócio cansativo!”. Na verdade, cada disciplina do curso é colocada devidamente em um local estratégico da grade curricular visando a busca do aprimoramento gradativo durante formação universitária. Mas, sério agora, você pode estar pensando: “preciso saber disso tudo?”. Então, precisa e precisa muito. Precisa e precisa sempre. Usa e usa muito tudo isso. Infelizmente, faz parte de um curso o conhecimento das áreas básicas para que o acadêmico possa fazer uma conexão entre ela e você possa fazer um link com o que você verá e fará na clínica. Durante a faculdade, você verá muitas situações diferentes, tanto as que os professores trarão, quanto as que presenciará na clínica. Porém, quando estiver fora da faculdade, tu vai se deparar com episódios indesejados, para os quais alguns não vai se sentir devidamente preparado e outras que levará e resolverá tranquilamente.

Como tentar resolver isso?

Enquanto estiver na universidade os professores sempre procurarão desenvolver as aulas de forma a demonstrar atitudes que precisam ser observadas e realizadas em clínica, este link entre a área básica e a clínica deve ser enfocado em cada aula pelo seu professor. Os professores buscarão trazer grandes informações e conhecimento para todos os aspectos de sua formação, porém, os questionamentos que você acadêmico traz, sempre conduzirão as aulas de acordo com suas necessidades. Mas, como fazer isso, “como encontrar questionamentos sobre algo que não sei?” Procurando, estudando, conversando com profissionais já formados e também com outros professores. A busca por estas informações são fundamentais para o seu processo ensino-aprendizagem.

Onde buscar informações?

Não espere a prova bimestral para estudar, não espere os problemas acontecerem contigo para ir à busca de soluções. As informações estão ali, na internet, em conversas, em livros, em artigos científicos. Sempre solicite ao seu professor bons artigos para ler, busque inclusive, artigos em inglês, porque não? Quanto mais você ler artigos em inglês, mais você estará oportunizando ferramentas próprias de ensino que estejam conectadas ao seu conhecimento.

Mas, tudo em inglês?

Não é tudo em inglês. Mas, não sinta medo do inglês! Amigue-se a ele, você verá novas alternativas, novos estudos que poderão conduzir seu aprendizado. Para teses e dissertações em inglês, procure na Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD), com inúmeros trabalhos já apresentados e portanto, discutidos por bancas; “Scientific Electronic Library on Line”, o SCIELO, que tem artigos em diversos idiomas; “Directory of Open Access Journals”, o DOAJ, que possui diversos artigos abertos; o Google Acadêmico também terá artigos disponíveis gratuitos inclusive em português brasileiro; o “National Center for Biotechnology Information”, o NCBI, que tem diversos artigos publicados, basicamente em inglês, mas de periódicos de renome internacional. Conforme mencionado anteriormente, não tema o inglês, o inglês abrirá portas a você, o mundo está aí, batendo à sua porta, aproveite.

Estudar por livros

É muito indicado que você utilize livros para seu aprendizado. O professor geralmente, ao inicio de um ano ou semestre letivo te trará os livros que utilizará durante o período. Ajuda muito este contato com bibliografias para temas relativos à área básica, pois são conhecimentos que não mudam no decorrer dos anos. Aproveite sua biblioteca. Em geral, todas as instituições tem as bibliotecas on line que darão a você um bom acesso a livros e periódicos (artigos) de fácil acesso.

Posso utilizar sites e blogs?

Um outro questionamento que você pode fazer é com relação à utilização de sites e blogs para o aprendizado. Sempre solicite ao seu professor qual a melhor forma de pesquisar. Professores renomados, que publicam bastante, normalmente tem em redes sociais muitas dicas e macetes para a prática clínica. A internet está cheinha de informações, muitas delas perfeitas para o seu aprendizado e outras nem tanto. Outra ferramenta importante de aprendizado são os vídeos que podem ser encontrados em sites como youtube.com e vimeo.com. Muitas coisas boas e interessantes você encontrará aí, porém, alguns vídeos não são tão bons assim. Sempre solicite ao seu professor onde é o melhor lugar para buscar esses vídeos, ou se eles estão condizendo com aquilo que está sendo falado em sala de aula.

Como estudar?

O ideal é sempre você estudar antes de ir a uma aula. Ao menos solicite ao professor qual será o tema da próxima aula e então busque em livros e artigos. Formule perguntas, tentando associar o que você já sabe com o que você está buscando ali. Pode ter certeza que, relacionando os teus conhecimentos já adquiridos, com o que você vera, surgirão muitas dúvidas, este fato até auxilia o professor na condução da aula.

Como Estudar por resumos?

O ideal é você mesmo preparar o resumo da aula, do conteúdo. Mediante a criação desta ferramenta, você estará aprendendo mais. Mas pode ser resumo criado por outros colegas, desde que você possa fazer suas considerações a anotações. Importante é que esse resumo seja feito logo após a aula, não espere o dia da prova ou a véspera dela.

Usar nuvens de palavras, mapas mentais e conceituais

O uso de mapas mentais e nuvens de palavras (“wordclouds”) pode ser feito no início das aulas ou antes do professor explicar um conteúdo. Funcionam como uma tempestade de ideias, onde você explora palavras-chave relativas àquele conteúdo e pode então, durante a aula, colocar os conceitos. Os mapas conceituais podem ser usados ao final, visando resumir o conteúdo aprendido. São ferramentas bem interessantes para otimizar o tempo e também o aprendizado.

Como aprender?

O que move o mundo são as perguntas. Portanto, pergunte, questione. Ao ler um artigo ou ver uma matéria antes de ir à aula, formule perguntas sobre o tema. Depois de assistir a aula, crie resumos coloridos, em papel com canetas coloridas ou em arquivo editável, colocando cores diferentes, isso ajuda a visualizar. Dê aula sobre o assunto, converse com colegas que estejam estudando a mesma matéria. Quem ensina aprende duas vezes.

Como criar hábitos?

Crie rotina de estudos, horário para cada disciplina a ser estudada. Crie um lugar próprio em sua casa para estudar, procure não estudar na cama por exemplo, pode ser desconfortável. Colocar uma música que você goste de fundo, pode também ajudar.

O mundo da informação está aí, aberto a você, basta selecionar a melhor forma de chegar até ele. Para isso que existe teu professor. A competição por melhor lugar no mercado de trabalho está conectada a uma base forte, que te conduzirá a uma prática clínica bem fundamentada E, principalmente, sinta-se bem com tua faculdade. Isso é bom, o contato com outros acadêmicos, com professores, isso faz com que tudo melhore, pode ter certeza. A faculdade é algo novo para a vida de muitos, algo diferente. Aproveite!

Cadastre-se para ter acesso personalizado ao conteúdo completo da Sanar.
Cadastre-se para ter acesso personalizado ao conteúdo completo da Sanar.