Todas as Áreas

Carreiras

Avaliação psicológica no esporte de alta performance | Colunista

Avaliação psicológica no esporte de alta performance | Colunista

A psicologia do esporte é um campo teórico-prático que se propõe a entender os aspectos psicológicos de pessoas que estão inseridas no contexto do esporte e do exercício, e de que forma esses aspectos podem influenciar na participação e no rendimento esportivo.  

Dentre os contextos de atuação possíveis ao psicólogo do esporte, está o esporte de alto rendimento ou alta performance, caracterizado pela busca da otimização da performance em situações esportivas formais e institucionalizadas. Os atletas de alto rendimento são aqueles preparados fisicamente para determinada modalidade esportiva (natação, ciclismo, futebol, basquetebol etc.). 

O desempenho de atletas dentro das equipes esportivas é muito relevante nesse contexto. Para além de aspectos físicos e táticos, os aspectos psicológicos devem ser levados em conta. Variáveis como motivação, ansiedade, personalidade, autoeficácia, dentre outros, são consideradas, uma vez que podem influenciar no rendimento dos atletas. Justifica-se, assim, compreender os processos mentais envolvidos no alcance de níveis de desempenho mais elevados, bem como a sua relação com habilidades competitivas. 

Para adequada intervenção no contexto do esporte de alto rendimento, psicólogos que atuam nessa área comumente fazem uso da avaliação psicológica. Esse processo, também conhecido no meio como perfil psicológico esportivo, visa avaliar aspectos psicológicos dos atletas para traçar suas habilidades e competências esportivas. Entre esses aspectos, pode-se destacar:

Variáveis psicológicas que afetam o desempenho dos atletas em treinamentos e competições 

O psicólogo que atua com essas equipes deve estar atento aos fatores que são intrínsecos ao atleta e que estão relacionados ao seu desempenho esportivo. Os processos comumente avaliados nesse contexto envolvem motivação, raciocínio, compreensão de informações, velocidade de processamento e as habilidades cognitivas relacionadas ao controle e foco atencional; 

Riscos psicológicos do treinamento 

Além dos fatores intrínsecos ao atleta, é importante que o psicólogo reconheça os aspectos psicológicos relativos à prática do esporte de alto rendimento e que podem ter impactos negativos à saúde do atleta. Aspectos como fadiga, ansiedade e estresse decorrentes da prática esportiva devem ser considerados. 

Habilidades psicológicas necessárias a esse contexto 

O esporte de alto rendimento requer características pessoais que favoreçam o desenvolvimento dessa prática. O que comumente busca-se nos atletas são habilidades de enfrentamento, persistência frente às adversidades, resiliência, autoeficácia e autoconfiança, comunicação e liderança.

A compreensão desses fatores é fundamental para que o psicólogo do esporte tenha subsídios para fundamentar as suas intervenções junto aos atletas. A avaliação psicológica nesse contexto é uma forma de garantir que o trabalho a ser desenvolvido levará em conta as demandas que refletem as reais necessidades dos atletas. 

Procedimentos para avaliação psicológica no contexto esportivo

A literatura a respeito da psicologia do esporte destaca algumas etapas do processo avaliativo importantes para o entendimento dos aspectos psicológicos envolvidos nesse contexto (PESCA; FRISCHKNECHT; PEIXOTO, 2019). Os procedimentos mais frequentemente utilizados envolvem a observação, entrevista e uso de testes psicológicos. A seguir serão descritas cada uma dessas técnicas. 

I. Observação

O método de observação do comportamento é uma técnica que consiste em observações sistemáticas com o intuito de permitir uma conclusão causal a respeito de alguma situação. Para isso, são estabelecidos de antemão comportamentos a serem observados, bem como a forma de registro e codificação do que será observado.  

Na psicologia do esporte de alto rendimento, seu uso se justifica como forma de verificação de diferentes situações vivenciadas pelos atletas em ambientes de treinamento, jogos e interação com a equipe – antes, durante e após os treinos/jogos. A partir disso, torna-se possível verificar aspectos comportamentais e relacionais.

 O uso desse método ocorre desde o início do processo avaliativo e paralelo aos procedimentos de entrevista e uso dos instrumentos psicológicos, como forma de garantir o levantamento, aceitação e refutação de hipóteses levantadas. Os aspectos observados são: 

  • Habilidades de comunicação (capacidades de compreensão e expressão de informações); 

  • Relações interpessoais (principalmente em situações de divergência e conflito); 

  • Reações emocionais (situações de adversidade, erros e recebimentos de críticas); 

  • Capacidade de resolução de problemas; e 

  • Atitudes entre os membros da equipe em situações formais (treinos e situações competitivas) e informais (conversas entre os treinos). 

II. Entrevista

As entrevistas no contexto do esporte comumente consistem em roteiros semiestruturados. São levadas em conta informações relevantes da história dos atletas e que tenham relação com o contexto esportivo. É de grande importância que outras fontes de informação sejam consideradas, como treinador e demais profissionais envolvidos. 

Os pontos consultados na entrevista envolvem aspectos da história pessoal, organização de rotinas  (hábitos diários, rotina do sono, alimentação) história com o esporte (representações e significados atribuídos ao esporte, trajetória, aspirações e objetivos na carreira, situações associadas aos bons e maus desempenhos em treinos e competições), relações interpessoais e demais aspectos físicos e psicológicos (desempenho motor, fisiológico e cognitivo antes, durante e depois das competições).      

III. Uso de instrumentos psicológicos

Os instrumentos psicológicos utilizados na avaliação no contexto do esporte levam em conta os aspectos psicológicos relacionados a velocidade de processamento, foco atencional, autoeficácia, e outros fatores a depender da demanda solicitada. É importante que os instrumentos psicológicos selecionados devem estar em conformidade com o Sistema de Avaliação de Testes Psicológicos (SATEPSI). 

É válido considerar ainda que a validade de um instrumento psicológico é sempre pontual ao contexto para o qual foi desenvolvido. Apesar da importância de se efetuar avaliações com instrumentos específicos para o contexto de atuação, o que se observa é uma escassez de testes que sejam validados e desenvolvidos para o meio esportivo. 

Por isso, é extremamente necessário que o psicólogo do esporte pondere os resultados obtidos e, se possível, considere as outras medidas de avaliação, como as entrevistas e a observação descritas acima. Uma vez entendidos como ferramentas, os testes psicológicos deixam de serem tomados como protagonistas no processo avaliativo, e seus resultados passam a ser considerados contextualmente. 

Os desafios na avaliação psicológica do esporte 

Além da ausência de instrumentos psicológicos que sejam adequados ao ambiente esportivo, outros desafios se colocam na avaliação psicológica enquanto prática nesse contexto. As implicações éticas relacionadas a respectiva avaliação envolvem o uso das informações resultantes do processo. 

É importante que se leve em consideração que as informações que são passadas a equipe e outros profissionais, como treinadores, devem se limitar apenas as que são necessárias a otimização do trabalho e do desempenho do atleta. 

Outro ponto a ser ressaltado é que as avaliações realizadas no contexto do esporte em geral são acompanhadas de expectativa da equipe, principalmente quanto aos resultados obtidos nos testes psicológicos. É necessário que o psicólogo esclareça todo o processo avaliativo, indicando qual o lugar que os instrumentos psicológicos ocupam dentro desse processo.

Também é válido destacar a natureza dinâmica dos processos avaliados, deixando claro a todo momento da avaliação que os resultados obtidos constituem um dado a respeito do momento em que o indivíduo se encontra (CFP, 2019). Por isso, é fundamental que o profissional que atua nessa área esteja capacitado para conduzir a avaliação. 

Apesar desses desafios, destaca-se a relevância da avaliação psicológica no esporte de alta performance. A atuação do profissional de psicologia nessa área pode ser enriquecida a partir de um processo avaliativo, uma vez que os resultados obtidos podem fornecer informações sobre habilidades, demandas e riscos relacionadas a esse meio, favorecendo assim intervenções psicológicas mais eficazes e contextualizadas à realidade dos atletas.  

Matérias relacionadas:

Referências

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Resolução CFP n. 006/2019 – Institui regras para a elaboração de documentos escritos produzidos pela(o) psicóloga(o) no exercício profissional e revoga a Resolução CFP nº 15/1996, a Resolução CFP nº 07/2003 e a Resolução CFP nº 04/2019. Brasília, 2019.

GARCIA, R. P.; BORSA, J. C. A prática da avaliação psicológica em contextos esportivos. Temas psicol.,  Ribeirão Preto ,  v. 24, n. 4, p. 1549-1560, dez.  2016.

HUTZ, C. S. et al. Psicodiagnóstico. 1. ed. Porto Alegre: Artmed, 2016.

PESCA, A.; FRISCHKNECHT, G.; PEIXOTO, E. M. Avaliação Psicológica no contexto do esporte. In: BATISTA, M. N. et al (org.). Compêndio de avaliação psicológica. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2019. 

RUBIO, K. A psicologia do esporte: histórico e áreas de atuação e pesquisa. Psicol. cienc. prof.,  Brasília ,  v. 19, n. 3, p. 60-69,    1999.

SILVA JÚNIOR, M. et al. Atenção visual no esporte: uma revisão. Revista Brasileira de Psicologia do Esporte, v. 6, n. 3, 2017.

VIEIRA, L. F. et al . Psicologia do esporte: uma área emergente da psicologia. Psicol. estud.,  Maringá ,  v. 15, n. 2, p. 391-399,  Jun.  2010.

Cadastre-se para ter acesso personalizado ao conteúdo completo da Sanar.
Cadastre-se para ter acesso personalizado ao conteúdo completo da Sanar.