Logo Sanar

Carreiras

Tornar-se psicólogo(a): como se preparar para a vida profissional desde a graduação | Colunista

Tornar-se psicólogo(a)_ como se preparar para a vida profissional desde a graduação.jpg (73 KB)

Quando nós entramos na faculdade, sabemos que vencemos uma etapa monstruosa: o vestibular. A felicidade de finalmente estar matriculado naquele curso que tanto desejamos parece não ter fim e temos a consciência de que conseguimos uma vitória importante. Esse, no entanto, é o primeiro passo de uma longa jornada.

O curso superior, de forma geral, e o curso de Psicologia, em particular, demanda muito tempo, estudo e dedicação por parte do estudante. A rotina de vestibulando é trocada por seminários, provas e práticas; a certeza da etapa vencida dá lugar às incertezas do que nos aguarda; as dúvidas sobre o que fazer na área
começam a aparecer com mais frequência e é então que você percebe que está prestes a se formar psicólogo. E agora?

A graduação em Psicologia geralmente é bastante generalista e dá ao estudante um apanhado geral das diferentes áreas e abordagens que esta ciência e profissão engloba. Assim, aqueles que entraram na faculdade convictos de que saberiam o que fazer quando se formassem agora passam a se deparar com uma infinidade de coisas e possibilidades de atuação que sequer sabiam que existiam. A faculdade realmente é um divisor de águas.

Apesar do estudante ser invadido por uma avalanche de ideias que o levam a se perguntar para onde realmente ir, é nesse momento que ele poderá descobrir suas principais habilidades, desenvolver competências e, principalmente, encontrar suas maiores afinidades.

Não é porque seu amigo se encaixa em uma área da Psicologia que você precisará se satisfazer com esta mesma área. Na verdade, a Psicologia é um campo que dispõe de muitas e distintas ferramentas que atraem diferentes gostos e olhares, e tudo que você precisa fazer é estar atento àquilo com o que mais se identifica e para onde o seu desejo aponta. Mas o que isso quer dizer?

A formação em Psicologia tem o objetivo de te preparar para o mercado profissional, certo? Então cabe você avaliar com o que você gostaria de trabalhar e em qual(is) eixo(s) você melhor se encaixa. Esse é um exercício que pode começar ainda na graduação. Sim, é isso mesmo! Você não precisa esperar se formar para definir o caminho da sua atuação profissional. Na verdade, a sua própria graduação te dará dicas e gatilhos importantes para se preparar para a sua trajetória futura. Quer saber como? Confira as 10 dicas abaixo que eu separei especialmente para você:

1. Reconheça seus gostos, interesses e habilidades

Você não precisa abrir mão dos seus gostos para ser um profissional. Na verdade, para ser um bom profissional é essencial que você goste daquilo que faz. Portanto, avalie o que mais te interessa e te atrai na Psicologia e observe quais habilidades você tem e/ou pode desenvolver para fazer o que realmente gosta.

2. Esteja aberto às possibilidades

Talvez você tenha ingressado no curso convicto de onde gostaria de estar enquanto profissional. Que ótimo! No entanto, não deixe que isso te impeça de estar aberto ao novo, de conhecer outras possibilidades e de descobrir quais outros lugares, técnicas e práticas da Psicologia podem te interessar.

3. Se permita questionar

Refletir e perguntar também é importante, ok? Então não se culpe se em sua trajetória acadêmica você perceber que o caminho em que você estava seguindo perdeu o brilho e que não te encanta mais como antes. Se permita questionar o que você realmente quer e se permita fazer novas escolhas sempre que necessário.

4. Aprenda a dizer “não”

Nem toda porta que se abre precisa que você entre nela. Quer dizer, nem sempre você deve agarrar uma oportunidade apenas por causa do seu currículo ou porque oferece vantagens. Avalie se essa oportunidade realmente condiz com o que você deseja e, caso a resposta seja negativa, não tenha medo de dizer “não” para ela.

5. Valorize as suas qualidades

Sim, você é realmente muito bom/boa em algo e não há nada de errado em reconhecer isso. Se você já identificou seus pontos fortes, valorize-os e desenvolva-os com afinco, pois eles te ajudarão a fazer as melhores escolhas e a realizar um melhor trabalho. Caso ainda não tenha identificado, esta é uma tarefa sobre a qual você pode se desdobrar.

6. Defina suas prioridades e metas

Agora que você já tem uma ideia do que quer, estabeleça suas prioridades e defina os passos para alcançar seus ideais. Você não precisa saber exatamente o que fazer sempre, mas é importante traçar um planejamento para a sua vida e carreira, de modo que você possa constantemente avaliar seus planos e metas, persegui-los ou mudá- los quando for preciso.

7. Invista em seus objetivos

Não tenha medo de errar. Após estabelecer seus objetivos, invista neles. Analise quais estratégias você pode utilizar para se aproximar cada vez mais do seu sonho e aja a partir delas. Ao fazer isso você conseguirá perceber se está se aproximando ou não do seu alvo e se precisará ajustar a sua rota.

8. Desenvolva experiência

A teoria é essencial, mas é a prática que vai estabelecer a sua atuação profissional, portanto, desenvolva experiência. Procure realizar estágios, remunerados ou não, nas áreas que te interessam e perceba se é neste contexto mesmo que você quer estar. Participe também de ligas acadêmicas, monitorias, internatos etc. Invista ainda em estudar o Código de Ética Profissional do Psicólogo e as resoluções emitidas pelo Conselho Federal de Psicologia, pois eles respaldarão sua atuação. Lembre-se: as possibilidades de aprender e de estabelecer uma relação teórico-prática serão fundamentais em seu processo de descoberta.

9. Busque se aperfeiçoar

A inquietação é a chave para o crescimento profissional. Não se acomode, busque se aperfeiçoar. Realize estudos, participe de cursos, organize eventos, se envolva. Deixe a Psicologia conquistar você e esteja disposto a se apresentar para ela em diferentes oportunidades, de modo que você possa se desenvolver pessoalmente e profissionalmente.

10. Dê o primeiro passo

O mercado de trabalho assusta, eu sei, mas ele também acolhe. Não tenha receio de se apresentar ao mercado, de expor suas competências e de buscar o seu espaço. Dê o primeiro passo. Elabore seu currículo com atenção, esteja aberto(a) para se revelar e, principalmente, esteja disposto(a) a aprender. A vida profissional é, no fim das contas, um eterno aprendizado.

Ao se formar psicólogo(a) você não está pronto. Como visto antes, esse será apenas um primeiro passo de um longo caminho. No entanto, é necessário que você saiba que toda a sua graduação é um processo importante não só para o que você faz hoje, mas principalmente para aquilo que você realizará amanhã como profissional.

Eu sei que os anseios, as dúvidas, as inquietações da vida acadêmica muitas vezes fazem perder o foco do alvo, do objetivo maior, pois exigem que você esteja focado nas atribuições e obrigações que um curso de nível superior exige. Contraditoriamente, a vida acadêmica também é um espaço precioso de oportunidades que podem te auxiliar não só em suas escolhas atuais, mas em seu delineamento de carreira.

Portanto, aproveite a sua graduação em todas as ferramentas e subsídios que ela te proporciona. Agora que você vai se formar psicólogo(a), simplesmente esteja apto(a) para colocar em prática tudo aquilo para o que você se dedicou ao longo dos últimos cinco anos.

Nunca é tarde para se preparar, mas quanto antes você começar, mais autoconfiança vai adquirir. Então acredite no seu potencial. A formatura será apenas um ritual de passagem para a intensa jornada que espera por você, querido(a) colega.

Matérias Relacionadas:


Para maiores aprofundamentos sobre o tema, sugiro as seguintes leituras:

BOBATO, S. T.; STOCK, C. M.; PINOTTI, L. K. Formação, Inserção e Atuação Profissional na Perspectiva dos Egressos de um Curso de Psicologia. Psicol. Ensino & Form.,  São Paulo ,  v.7, n.2, p.18-33, 2016. Disponível em . Acesso em: 28 jul. 2020.

SANTOS, M. de F. de S. Formar psicólogos para quê? Psicol. cienc. prof., Brasília, v.14, n.1-3, p.40-41, 1994. Disponível em 98931994000100008&lng=en&nrm=iso>;. Acesso em: 28 jul. 2020.

ZILIOTTO, D. M. et al. Concepções e expectativas de estudantes de psicologia sobre sua futura profissão. Gerais, Rev. Interinst. Psicol., Juiz de Fora, v.7, n.1, p.82- 92, 2014. Disponível em:
. Acesso em: 28 jul. 2020.

Cadastre-se para ter acesso personalizado ao conteúdo completo da Sanar.