Logo Sanar

Carreiras

Sou Psicólogo e quero atender on-line: os 5 primeiros passos

Atender On-line.png (213 KB)

Embora muitos psicólogos já o fizessem antes, a pandemia e o isolamento social foram o empurrão final para que os psicoterapeutas adotassem o atendimento online. 

Desde a regulamentação no cadastro nacional do Conselho Federal de Psicologia até a implementação de diferentes estratégias para um trabalho eficaz e seguro, foram muitas as adaptações necessárias. Embora comprovadamente eficaz, essa modalidade de atendimento possui algumas particularidades e requer um pouco de atenção.

 

Reunimos aqui uma compilação de orientações básicas para o bom andamento das sessões virtuais:

 

Cadastre-se no E-Psi

Desde o início da pandemia, os psicólogos foram autorizados a atender online sem que fosse preciso aguardar a aprovação na plataforma E-Psi, do Conselho Federal de Psicologia. Entretanto, o cadastramento é obrigatório e oferece ao paciente a segurança de que os atendimentos estão devidamente regulamentados.

 

Centralize seus atendimentos em uma plataforma

No cadastro no E-Psi, o psicólogo deve informar as plataformas que irá utilizar. Escolha a que você melhor se adapta e procure centralizar seus atendimentos nela. Tenha também plataformas alternativas para caso haja falhas técnicas. A maioria das plataformas são gratuitas e permitem agendamento prévio e a criação de uma sala particular com “sala de espera”.

 

Garanta privacidade

Para zelar pela segurança dos atendimentos, esteja sempre em um ambiente fechado, de preferência com isolamento acústico. O uso de fones de ouvido é altamente recomendado, tanto pela qualidade do som quanto para o resguardo sonoro. Se for utilizar o celular, ative os modos de “não perturbe” para que chamadas e mensagens não interrompam o atendimento.

 

Cuide da telepresença

Garantir que o paciente esteja envolvido e emocionalmente conectado faz toda a diferença. Oriente que o paciente esteja sob os mesmos cuidados que você: ambiente silencioso e privativo, celular no “não perturbe” e sem distrações. Faça “contato visual” (olhando para a câmera) para aumentar a sensação de conexão emocional e evitar o paciente se disperse ou que se sinta “sozinho” diante da tela.

 

Flexibilize a agenda

O trabalho virtual pode ser extenuante. Por isso, pode ser interessante manter janelas maiores entre um atendimento e outro, de forma a garantir pausas mais longas e evitar atrasos devido a problemas técnicos. Também pode ser importante limitar o número de atendimentos por dia, evitando assim o esgotamento físico e mental.

 

Textos que você pode ser interessar:

* Como se inicia um tratamento psicanalítico

* Conheça alguns mitos sobre a TCC

* Terapia Cognitivo-comportamental no tratamento contra a depressão

 

Informações complementares para o psicólogo:

Saiba como ser um especialista em Terapia Cognitivo-Comportamental

Faça uma pós-graduação em Psicanálise Clínica (100% online)

 

Cadastre-se para ter acesso personalizado ao conteúdo completo da Sanar.
Cadastre-se para ter acesso personalizado ao conteúdo completo da Sanar.