Todas as Áreas

Concursos

Justiça determina que companhia aérea indenize passageiro que perdeu concurso público por não conseguir embarcar

Justiça determina que companhia aérea indenize passageiro que perdeu concurso público por não conseguir embarcar

A TAM Linhas Aéreas S/A (atual Latam) foi condenada pela Justiça do Alagoas a pagar indenização de R$ 12.990,14 a um passageiro que perdeu prova de concurso por não ter sido autorizado a embarcar. A decisão foi publicada no Diário da Justiça desta quarta-feira (7), e é do juiz Orlando Rocha Filho, da 6ª Vara Cível de Maceió.

De acordo com os autos do processo, o passageiro se inscreveu no concurso público da Valec Engenharia S/A, escolhendo a cidade de Salvador para realizar a prova. No dia da viagem, foi surpreendido com a informação de que não poderia embarcar devido a um erro no bilhete, que supostamente trazia o nome dele incorreto.

De acordo com o passageiro, o nome que estava escrito no bilhete se tratava de um prenome, o que não seria um erro. Ressaltou ainda que sua identificação poderia ser aferida por seu CPF ou documento de identidade. Mesmo com insistência, o candidato não conseguiu fazer a viagem e perdeu a prova do concurso.

Em contestação, a Tam disse não haver prova de que o autor da ação realmente tenha se inscrito no certame. Sustentou ainda que ele não demonstrou o nexo causal necessário para as indenizações. O juiz interpretou que a empresa agiu com descaso e desrespeito, “pois proibiu o embarque de forma imprudente e arbitrária, fazendo com que a parte autora fosse impossibilitada de realizar o concurso público, findando as expectativas de aprovação após meses de estudos”, escreveu.

Ainda segundo o magistrado, a alegação da empresa não merece prosperar, uma vez que o passageiro juntou os documentos necessários, como a inscrição no concurso e o pagamento da passagem aérea. “Está clara a conduta ilícita da parte ré”, afirmou. A indenização foi calculada a partir da interpretação de que houve danos de natureza patrimonial e extrapatrimonial. Do total da indenização, R$ 10 mil equivalem à reparação moral e R$ 2.990,14 aos danos materiais, que incluem a inscrição no concurso, a passagem aérea e a quantia paga em curso preparatório.

Cadastre-se para ter acesso personalizado ao conteúdo completo da Sanar.
Cadastre-se para ter acesso personalizado ao conteúdo completo da Sanar.