Logo Sanar

Carreiras

Saúde Emocional dos Profissionais da Saúde em meio à Pandemia | Setembro Amarelo

Saúde Emocional dos Profissionais da Saúde em meio à Pandemia

 

Para cuidar do outro você precisa também cuidar de si

 

Desde que o Coronavírus chegou ao Brasil em março, muitos profissionais da saúde como médicos, fisioterapeutas, psicólogos, enfermeiros e técnicos estão atuando para combater e minimizar impactos sociais desse vírus que atingiu o mundo de forma tão inesperada. 

Com muito empenho, eles estão trabalhando, desde o início da pandemia, na linha de frente e sendo expostos à Covid-19 diariamente. 

Se por um lado essa atuação é importante, por outro, temos profissionais com a saúde emocional sobrecarregada, principalmente pela responsabilidade que lhes foi incubida.

Então, como se manter saudável física e emocionalmente diante de tanta cobrança interna e externa? Mais à frente, iremos falar mais sobre como isso é possível.

 


BAIXE AGORA O EBOOK "ABORDAGEM MULTIPROFISSIONAL NA PREVENÇÃO DO SUICÍDIO"


 

Quem cuida de quem cuida? | Setembro Amarelo

 

É importante lembrarmos que além de engajados, os profissionais da saúde têm enfrentado plantões exaustivos, precisam estar longe da família para evitar qualquer contágio e mudaram totalmente a sua rotina com intuito de fazer valer seu juramento – e isso é lindo!

Mas, em tempos de Setembro Amarelo, onde o tema saúde emocional é constantemente pautado, é essencial que os agentes da Saúde também sejam incluídos, afinal, estamos falando de pessoas que precisam dos mesmos cuidados. 

Segundo um estudo realizado pela PEBMED, 78% dos profissionais que estão na linha de frente contra o coronavírus apresentaram sinais de Síndrome do Esgotamento Profissional, o Burnout. Dentre eles, 79% são médicos, 74%, enfermeiros e 64% técnicos de enfermagem. 

Diante disso, é preciso lembrar que as principais causas do esgotamento, segundo a pesquisa, são divididas entre:

  • Os desafios enfrentados diariamente;

  • Falta de segurança psicológica;

  • Ambiente de trabalho hostil;

  • Relacionamento ruim com a liderança e gestão;

  • Falta de disponibilidade de recursos como Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

 

Saúde emocional dos profissionais de saúde | Setembro Amarelo

 

Por mais que este seja um momento muito dificil onde todos estão lidando com suas questões pessoais, os profissionais da saúde têm de conviver com preocupações de fatores externos como família, pacientes, demandas administrativas e todos os desafios que a profissão apresenta e que se intensificaram com a pandemia do novo coronavírus.

É comum sentir estresse alto, sobrecarga física, emocional e sob pressão, mas lembrar que pedir ajuda não significa fraqueza e muito menos incompetência profissional.

Para Daniele Nazari, psicóloga do Zenklub: 

“Descanso, boa alimentação, hábitos saudáveis, exercícios físicos e atividades de lazer também devem fazer parte da rotina. Ser produtivo é saber cuidar de si mesmo para o equilíbrio físico, mental e emocional.”

Por isso, pensando em minimizar as cargas deste período, separamos algumas dicas de como você pode passar por este momento com menos impacto possível. 

 

Separe um tempo para si

 

Parece difícil e pode até ser, mas separar um tempo para se cuidar e olhar para as suas vontades é um caminho de sucesso. Durante os plantões, separe 10 minutos para fechar os olhos e praticar a meditação, este exercício te traz ao momento presente e dá forças para lidar melhor com os desafios do dia. 

 

Pratique o autocuidado

 

Praticar o autocuidado vai além da estética e profissionais da saúde sabem disso. Alimente-se de forma saudável, com alimentos leves, e não pule as refeições. Os plantões demandam muita energia física, por isso, vitaminas e nutrientes são importantes. 

Além disso, crie práticas de bem-estar emocional. Aceite seus sentimentos em relação ao trabalho e família, chore quando necessário, esteja aberto a buscar e reconhecer que a ajuda de um especialista também faz parte do processo. 

Lembre-se: você não é culpado pelas emoções que sente. Se priorize. 

 


SETEMBRO AMARELO: PRECISAMOS FALAR SOBRE SUICÍDIO!


 

Evite o excesso de informações

 

Ter de lidar presencialmente com casos difíceis já requer cuidados, procurar mais notícias sobre a Covid-19 pode não ser tão saudável, apesar de precisar se manter informado, tente não consumir notícias diariamente. Busque apenas o essencial!

 

Estreite laços com a família

 

Estar perto de quem a gente ama traz conforto, paz e força para seguir com as tarefas do dia. Mesmo que seja a distância, separe momentos para fazer chamadas de vídeo com aqueles que você quer bem, envie mensagens de texto, faça ligações. Tudo o que puder para ter contato com sua família e pessoas queridas já ajuda muito.

 

Busque boas notícias e compartilhe

 

Ver os pacientes se recuperando traz esperança e alívio. Busque conversar com quem vai receber alta e está curado, compartilhe a notícia com seus colegas de profissão e amigos. Espalhe boas novas, elas podem te fazer bem. 

 

Não se cobre tanto

 

Cada pessoa tem sua forma de lidar com situações e suas histórias fazem parte disso. Lembre-se de que você faz o melhor que pode e já um vencedor por estar na linha de frente lutando para que tantas vidas se recuperem! Isso é louvável. Aceite essa conquista e evite a autocobrança.

 

Reconheça quando precisar de ajuda

 

Por mais que a sua presença seja importante neste momento, reconheça nas suas atitudes e identifique quando algo não vai bem. Como dissemos acima, o Burnout tem atingido a muitos profissionais da saúde, então, quando você sentir que precisa parar, converse com pessoas próximas, peça conselhos e busque ajuda!

 

Adentre o mundo tranformador da terapia

 

Assim como você, existem outros profissionais que estão na mesma missão de ajuda. Porém, para te auxiliar a lidar com os anseios, medos, inseguranças, te ouvir e seguir contigo nesse caminho que não dá pra trilhar só, existem psicólogos e terapeutas que atendem a distância prontos para seguir com você nessa jornada! 

 

Por fim, lembre-se de que para cuidar do outro é preciso estar saudável. Então, praticar o autoconhecimento e autocuidado, em conjunto com a terapia, pode evitar ansiedade e depressão.

Se atente aos sintomas de cansaço extremo, perda de ânimo em fazer seu trabalho, autocobrança excessiva e autossabotagem. Se observar essas ou outras alterações que impactam no cotidiano de outros profissionais que fazem plantão com você: ofereça ajuda! Trabalhar em conjunto e empatia é de extrema importância para todos neste momento. 

 

O seu bem-estar emocional e físico precisa ser prioridade! Cuidando de si mesmo, você estará se fortificando para cuidar melhor do outro.

 

Texto por: ZENKLUB

Cadastre-se para ter acesso personalizado ao conteúdo completo da Sanar.