Logo Sanar

Carreiras

Conheça 9 Métodos Infalíveis de Estudo para Concursos e Residências na Saúde

 Métodos Infalíveis de Estudo para Concursos e Residências na Saúde

 

A palavra de ordem na preparação para concurso é planejamento! Apenas sentar e estudar o conteúdo cobrado no edital pode não ser suficiente. É preciso definir um método para direcionar seus dias de estudo e potencializar a absorção do conhecimento.

Pensando nisso, separamos 9 métodos de estudo para você se preparar para concursos. É importante lembrar que você não precisa aderir a todos os métodos, mas escolher aquele – ou aqueles – que melhor se adapte à sua personalidade e ao seu modo de aprender.

 

Resumos e fichamentos

Clássico dos métodos de estudo, os resumos e fichamentos são ótimas opções para aumentar o repertório e focar nas partes principais de cada tema. Sempre rola o meme de só marcar as partes importantes e no fim das contas toda a página estar grifada, né?

Risadas à parte, é fundamental prestar atenção a isso. O ideal é destacar os trechos mais importantes mesmo, e no resumo explicar de maneira sucinta a ordem dos acontecimentos, a definição de conceitos e os elementos-chave que podem ser cobrados no concurso.

Vale usar canetas coloridas, marcadores chamativos e itens que ajudem na visualização do resumo e do trecho destacado. Outra coisa importante: o resumo do conteúdo estudado deve ser reescrito com suas próprias palavras!

 


APRENDA A ESTUDAR PARA CONCURSOS DE PREFEITURAS!


 

Técnica Pomodoro

O método idealizado pelo italiano Francesco Cirillo se baseia na combinação de trabalho e relaxamento, e define que períodos de descanso intercalados a momentos de concentração. Cirillo percebeu que a produtividade aumenta conforme essa mescla existe.

Na prática: a cada 25 minutos de concentração, você separa 5 minutos de descanso. Esses momentos de relaxamento podem ser aproveitados da maneira que você achar melhor: alongando, mexendo no celular, caminhando. Alarmes podem ser usados para delimitar cada momento.

 

Método Robinson (EPL2R)

O psicólogo americano Francis Pleasant Robinson desenvolveu esse método em 1946 com base nos princípios básicos do aprendizado. São cinco passos fundamentais: explorar, perguntar, ler, rememorar e repassar.

O primeiro deles consiste em explorar o material de estudo com a leitura superficial dos tópicos, sumários e título. Depois desse contato, o aluno deve fazer perguntas sobre os temas que chamaram a sua atenção.

A etapa seguinte é a primeira leitura aprofundada, com objetivo de responder cada questão surgida anteriormente. Uma vez encontrada a solução para cada pergunta, ocorre a leitura completa. É nesse momento que você lê o material sem pensar em aplicações do conteúdo.

A última etapa é repassar as informações lidas. Depois de aprender e organizar o conhecimento, você dá uma aula a si mesmo, para explicar os conceitos mais importantes em voz alta.

Vale repassar isso na frente do espelho, hein?!

 

Mapas mentais

A gente usa muitos mapas mentais aqui na Sanar, porque são excelentes para fixar o conhecimento através da memória visual. As imagens, setas e cores são o diferencial desse método de aprendizado, formalizado pelo inglês Tony Buzan nos anos 1970.

A chave dos mapas mentais é organizar as matérias em um diagrama a partir de um tema central. Depois de definido o tema central, é preciso conectar esse assunto principal a tópicos paralelos. Isso pode ser feito com balões ou desenhos que remetam aos assuntos.

Com o mapa finalizado é mais fácil revisitar o conteúdo posteriormente e lembrar estabelecer as conexões entre os assuntos. Sem contar que é uma excelente ferramenta para revisar os assuntos antes das provas.

 

Testes práticos

Frequentemente sugerido pelos professores de cursinhos, o teste prático lembra o formato dos simulados, só que preparado pelos próprios alunos e com base nas dúvidas de cada um em cada matéria. O segredo do sucesso dessa técnica é fazer blocos de questões sobre temas que deixaram dúvidas durante a leitura.

O legal é que, para responder cada pergunta, você terá que buscar várias fontes de conhecimento até que encontre uma resposta satisfatória. Além de economizar tempo, essa técnica permite agir diretamente nas áreas em que você sente mais dificuldade de aprender.

 


CONFIRA OS CONCURSOS ABERTOS NA ÁREA DE SAÚDE!


 

Autoexplicação

Essa técnica, também chamada de elaboração interrogativa, valoriza as dúvidas que surgem durante a leitura. A autoexplicação consiste em duvidar de tudo o que se lê, estimulando a reflexão sobre cada informação.

A partir das indagações, os estudantes tentam explicar para si mesmos o que estão lendo. Para levantar as perguntas, é comum grifar, rasurar, escrever, usar dicionários e até falar sozinho.

Com isso, os alunos já estarão estabelecendo a autoexplicação, considerada uma leitura interativa que vai além de uma simples olhada nos livros e cadernos. O processo é uma ferramenta útil para promover a absorção do conhecimento, de fato.

 

Estudo intercalado

Esse método consiste em distribuir matérias em um momento próximo de estudo, para não passar muito tempo em apenas uma área. Basta separar uma quantidade proporcional de horas para cada assunto.

Essa divisão te obriga a voltar ao tópico anterior cada vez que for continuar a matéria. Isso evita a procrastinação e força a memória a relembrar os tópicos estudados. Com o estudo intercalado, a matéria não se acumula e não há desespero na prova.

 

Associação de imagens

Associar imagens a conceitos abstratos é considerado uma poderosa estratégia de estudo, porque permite memorizar conteúdos ligados a exatas com mais facilidade.

Opa! Mas como isso funciona na prática?

Você deve associar números a imagens de objetos concretos. Quando fizer isso, ao pensar em um número, logo irá se lembrar da imagem associada.

Dica de ouro: imagens mentais ricas, fortes e de colorido intenso são guardadas com maior facilidade.

 

Gravações de áudio

Você também pode intensificar a aprendizagem com base nos estímulos auditivos a partir da reprodução dos conteúdos que deseja assimilar. As gravações colaboram para o cérebro fixar informações na memória de longo prazo.

Para isso, leia os conteúdos em voz alta e grave as leituras. Depois, só ouvir o mesmo assunto quantas vezes quiser, até perceber que houve completa assimilação.

 

Qual método te interessa mais? Nos conte nos comentários!!

 

Campanha #VocêAprovado em 2020! Sanar

 


Matérias relacionadas:

Cadastre-se para ter acesso personalizado ao conteúdo completo da Sanar.
Cadastre-se para ter acesso personalizado ao conteúdo completo da Sanar.