Logo Sanar

Carreiras

Como se preparar para prova de títulos na graduação

sanar-prova-de-titulos-element5-digital-unsplash.jpg (143 KB)

Alcançar o sonho do concurso público ou da residência multiprofissional não é uma tarefa muito simples. Dedicação, foco, etapas da seleção e a concorrência podem até assustar e te fazer questionar se você é mesmo capaz de chegar lá. O bom dessa história toda é que 75% disso tudo depende apenas de você. Esse post é justamente sobre um deles!

A prova de títulos é uma das etapas da grande maioria das seleções públicas. Nunca eliminatória, é ela que define em qual classificação você vai terminar. Sendo assim, quanto mais enriquecido for seu currículo, melhor pra você.

Vê como até esse aspecto depende única e exclusivamente do seu esforço?

Se preparar para a prova de títulos ainda na graduação exige alguma habilidade, certamente. Acompanhe esse texto até o final que você vai reunir as informações necessárias para esse êxito! 

 

O que é prova de títulos

Antes de falarmos especificamente sobre como se preparar para a prova de títulos, é preciso que se tenha em mente algumas informações sobre essa etapa. A primeira, é que ela geralmente é cobrada em cargos de nível superior, que exigem formação específica para a vaga. É nessa etapa que a banca avalia se o candidato é qualificado o suficiente para exercer a função à qual concorre. 

Mas não precisa se preocupar em imaginar quais funções exigem mais ou menos. Isso porque o edital da seleção consta todos os detalhes disso. 

Por exemplo, que documentos são exigidos; em que momento da seleção você deve entregá-los; quais regras gerais para execução dessa etapa. Algumas possibilidades são mais comuns:

  • Prova de títulos aparece após as fases eliminatórias, como provas escritas e/ou práticas;

  • Os documentos comprobatórios podem ser entregues pessoalmente, por e-mail ou via SEDEX;

  • Os documentos devem ser cópias autenticadas e reunidos em envelope lacrado junto com o formulário de títulos.


SAIBA COMO INTERPRETAR UM EDITAL!


 

Avaliação na prova de títulos

A fase de avaliação da prova de títulos varia de acordo com o tipo de seleção e a banca organizadora. Mas existe algo em comum nessa etapa: a definição de um valor máximo permitido. Isto é, não é possível acumular pontos por entregar muitos diplomas ou certificados.

Dessa forma, se você tem mais de um curso de graduação, ou mais de um MBA ou doutorado, ou mais de um curso de especialização, é preciso prestar atenção ao que determina o edital. Sua escolha deve ser estratégica e adequada ao cargo pretendido.

Geralmente, as provas de títulos aceitam: 01 título de doutorado; 01 título de mestrado; 02 cursos de especialização; 02 comprovantes de experiência na administração pública ou iniciativa privada; além de exercício de atividade autônoma ou profissional de nível superior em empregos, cargos ou funções na especialidade concorrida, na administração pública ou na iniciativa privada.

Na área de saúde, a Ebserh aceita ainda 01 residência médica; 02 especializações lato sensu; 03 comprovantes de produção científica, como livro, capítulo de livro ou texto científico; e 02 cursos de aperfeiçoamento na área relacionada ao cargo pleiteado. 

Importante destacar que não é obrigatório atender a todos esses critérios. A prova de títulos não é eliminatória, como já falamos. No entanto, quanto mais bagagem seu currículo carregar, melhor para sua classificação final, maior sua chance de ocupar as primeiras colocações e é mais provável que você seja convocado(a) logo!


APRENDA A PLANEJAR SEUS ESTUDOS E MONTAR UM CRONOGRAMA PERFEITO!


 

Como se preparar na graduação

Sabemos que parece um pouco difícil se preparar para uma prova de títulos na graduação, afinal, as disciplinas do semestre não dão descanso. No entanto, sugerimos duas formas de você começar pensar estrategicamente esse momento de sua vida profissional.

A primeira delas é fazendo iniciação científica. Ao escolher uma pesquisa para se dedicar, dentro de sua área de formação, você consegue publicar trabalhos científicos, participar de congressos e eventos, quem sabe até publicar um capítulo de algum livro. Isso sem falar do conhecimento especializado que você vai adquirir, que é um super diferencial no dia a dia de trabalho!

A segunda opção, que pode ser realizada concomitante à primeira, é traçar um plano de realização de cursos. Mais ou menos assim: já na graduação, você mapeia os cursos que pode fazer depois de concluída a faculdade e que consiga se encaixar no período que você estiver se preparando para uma seleção como concurso ou residência.

Os cursos podem ser: 

  • Mestrado/Doutorado - São cursos de pós-graduação stricto sensu, caracterizados pela complexidade, aprofundamento e tempo de duração e dedicação. Exigem maior aprofundamento teórico. Ao final, você recebe o diploma e o título de mestre ou doutor.

  • Especialização - Curso de educação continuada que complementa a formação acadêmica, atualiza, incorpora competências técnicas e desenvolve o profissional. O foco está na atuação no mundo do trabalho, no atendimento às demandas por profissionais tecnicamente mais qualificados. Tem duração mínima de 360 horas. Ao final, você recebe um certificado com valor acadêmico, mas não recebe nenhum título.

  • Cursos de aperfeiçoamento - Destinados a profissionais que desejam se aperfeiçoar na execução de determinada ocupação. Tem carga horária mínima de 180 horas. Ao final, você recebe certificado com valor profissional, não acadêmico.

Podemos chamar isso de "plano de formação". Depois de definir sua estratégia, é só colocá-la em prática e impulsionar seu currículo!

 

Cadastre-se para ter acesso personalizado ao conteúdo completo da Sanar.